Professor amapaense vence prêmio nacional de fotografia

Foto da estrutura interna e a composição de uma colônia de formigas venceu a 13ª edição do Prêmio Fotografia – Ciência e Arte, do CNPq.

O professor Paulo Pacheco Júnior, do curso de engenharia florestal da Universidade do Estado do Amapá (Ueap) foi o vencedor do Prêmio Fotografia – Ciência e Arte. O resultado foi divulgado no dia 23 de maio pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O pesquisador fez o registro de uma colônia de formigas na Área de Proteção Ambiental do Rio Curiaú, zona rural de Macapá no dia 10 de outubro de 2021. O título da fotografia foi ‘O início de um império no coração da Floresta Amazônica’.

Ele ficou em primeiro lugar na categoria ‘Imagens produzidas por câmeras fotográficas: ambiente natural e antrópico’. Pacheco Júnior concorreu com 432 pesquisadores de todo o país.

Foto: Leiliana Rocha/Ueap

“Ganhar este prêmio é como ver o trabalho de uma vida ganhar asas e voar! Desde criança, sempre amei imagens de animais. Acho que foi isso que me levou para a biologia. Ficava deslumbrado com as imagens de fotógrafos famosos e isso inspirou minha carreira”, descreveu o pesquisador.

O pesquisador dissecou as domácias de plântulas, revelando a estrutura interna e a composição da colônia. Ele explicou que a estrutura colonial dessas formigas é a colônia fundada por uma única rainha.

Na fotografia, além da rainha, podem ser vistas três operárias, três pupas, 14 larvas, cerca de nove ovos e duas cochonilhas do gênero Catenococcus.

A imagem também revela a rainha e uma operária cuidando de um ovo recém-depositado, exemplificando o comportamento cooperativo entre os insetos.

Ele descreveu que o prêmio é fundamental para dar visibilidade ao trabalho dos pesquisadores.

“Essa visibilidade inspira futuras gerações e fortalece a conexão entre ciência e sociedade. A pesquisa vai além dos gráficos e números – ela é cheia de histórias visuais que cativam e educam o público”, disse Paulo Junior.

Prêmio Fotografia – Ciência e Arte

A 13ª edição do Prêmio de Fotografia – Ciência e Arte recebeu 432 inscrições e premiou seis trabalhos nas categorias: Imagens produzidas por câmeras fotográficas e imagens produzidas por instrumentos especiais (como microscópios e telescópios).

Os critérios de avaliação incluíram impacto visual, originalidade, técnica, relevância para a pesquisa e contribuição para a divulgação científica.

O prêmio foi lançado em 2011 e incentiva a divulgação científica no Brasil.

*Por Rafael Aleixo, do g1 Amapá

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Entenda qual a função de um consulado e quais estão presentes nas capitais da Região Norte  

Os serviços prestados por um consulado são essenciais na diplomacia internacional, pois fornecem assistência e proteção aos cidadãos de um país em território estrangeiro.

Leia também

Publicidade