Com mais de 60 coautores, coleção de livros reúne resultados de pesquisas sobre castanha-da-amazônia

Nos quatro volumes encontram-se 32 capítulos que reúnem mais de 860 páginas em que são abordados diversos estudos sobre a castanheira.

A cadeia de valor da castanha-da-amazônia, que é um dos principais produtos do agroextrativismo brasileiro, envolvendo mais de 60 mil famílias de povos e comunidades tradicionais e aproximadamente 60 empresas de beneficiamento e comercialização, agora passa a contar também com um amplo conjunto de conhecimentos e resultados de pesquisas disponibilizados na coleção de livros ‘Castanha-da-amazônia: Estudos sobre a espécie e sua cadeia de valor’, com lançamento nesta quinta-feira (27) pela Embrapa.

A coleção é composta por quatro volumes trazendo informações sobre aspectos sociais, econômicos e organizacionais; pós-coleta e tecnologia de alimentos; ecologia e manejo de castanhais nativos; melhoramento genético e cultivo. A obra é uma publicação da Embrapa, tendo como editores técnicos os seguintes pesquisadores: Lúcia Helena de Oliveira Wadt (Embrapa Rondônia), Julianna Fernandes Maroccolo (Observatório Castanha‐da‐Amazônia – OCA), Marcelino Carneiro Guedes (Embrapa Amapá) e Kátia Emídio da Silva (Embrapa Amazônia Ocidental). Reúne ainda trabalhos de mais de 60 coautores, pesquisadores de diversas áreas do conhecimento em diversas instituições de pesquisa e organizações.

Com a coleção de livros, pretende-se tornar mais acessíveis resultados de pesquisa e informações relevantes para a cadeia produtiva da castanha-da-amazônia (Bertholletia excelsa), também conhecida como castanha-do-brasil ou castanha-do-pará.

Nos quatro volumes encontram-se 32 capítulos que reúnem mais de 860 páginas em que são abordados diversos estudos sobre a castanheira. A expectativa com a obra é facilitar o uso das informações disponíveis na literatura para contribuir ao fomento às políticas públicas, à produção e comercialização da castanha-da-amazônia, assim como a valorização dos serviços ecossistêmicos e ambientais prestados pelos castanhais e pelos seus produtores castanheiros.

Atualmente a castanha-da-amazônia possui um mercado mundial que movimenta de US$ 300 a US$ 400 milhões (R$ 1,5 a R$ 2,0 bilhões) por ano, em sua maior parte para a castanha descascada e beneficiada. E a demanda para essa castanha é crescente, com aumento de 700% nos últimos 15 anos, segundo informações citadas na coleção de livros.

O volume 1 aborda os aspectos sociais, econômicos e organizacionais da cadeia de valor da castanheira. O volume 2 é sobre pós-coleta e tecnologia de alimentos. O terceiro volume é sobre ecologia e manejo de castanhais nativos. O volume 4 é sobre melhoramento genético e cultivo.

A pesquisadora Lúcia Wadt, responsável pela supervisão editorial da obra, informa que os temas dos volumes são fundamentais para a inclusão da espécie em sistemas produtivos locais. A pesquisadora destaca que, no conjunto dos quatro livros, o leitor vai encontrar também informações sobre a história do comércio da castanha, desde os tempos coloniais; aspectos relacionados às restrições de mercado devido à qualidade; boas práticas de higienização e sanitização de frutos e sementes.

Encontrará também características nutricionais e produtos à base de castanha; relação de fatores bióticos e abióticos com a distribuição da espécie na Amazônia e a influência desses fatores na produção de frutos; análise da diversidade genética de populações nativas de castanheira em toda a Amazônia; situação atual do Programa de Melhoramento Genético da Castanheira para a produção de frutos; e aspectos da ecofisiologia da planta e sua potencialidade para o cultivo.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Da floresta ao mercado: negócios artesanais transformam rotina e sustento de indígenas no Amazonas

Empreendedores contam como os pequenos negócios sustentam bases familiares em Manaus.

Leia também

Publicidade