Manaus 30º • Nublado
Sexta, 03 Dezembro 2021

​Profissão Gamer: Vale a pena ou não?

Você já viu aqueles gamers que ganham muito dinheiro jogando videogame em casa, participando de campeonatos ou gravando vídeos com dicas sobre como jogar? Parece uma ideia impossível a de ganhar dinheiro jogando videogame, mas não é. Tem muita gente ganhando todos os dias, independente de idade ou formação profissional. 

O interessante desse assunto é que, por muito tempo, essa categoria de mercado foi vista com descrédito por boa parte das pessoas. Com o aumento significativo desse nicho, ele já começa a ser levado a sério e muitos começam a analisar como uma boa alternativa. 

Muitos profissionais, diante da crise que estamos atravessando desde 2015, ainda recente com o agravamento da pandemia, começaram a analisar essas alternativas como fonte de renda e sucesso profissional. Muitos têm dado certo, inclusive, com a desistência de suas áreas de origem e com a dedicação exclusiva para essa nova atividade. 

Mas como podemos fazer jogos se transformarem em dinheiro, em fonte de sustento e oportunidade profissional? É sobre isso que vou falar hoje. Vamos mergulhar nesse novo mundo?

Foto: Reprodução/Pixabay

Qual formação é necessária para isso? 

A princípio nenhuma pelo fato de que a habilidade, rapidez e eficiência de resultados alcançados em um jogo não são fatores ensinados em um banco de escola, curso técnico ou faculdade. Isso significa que toda e qualquer pessoa pode atuar como gamer, sendo formado ou não. 

Mesmo que essa área não demande conhecimentos técnicos, alguns pontos são cruciais para quem quer seguir nela: agilidade com as movimentações de mouse, habilidade não visual com teclados, pensamento planejado e paciência para tentar quantas vezes forem necessárias para poder atingir o objetivo definido. 

Os jogos mais jogados 

Entre os jogos mais práticos estão as modalidades que envolvem jogos realistas (de simulação da vida) ou de ficção: 

- Jogos de construção: envolvem planejamento, construções de cidades ou reinos, administração de recursos, trabalho em grupo, criação de animais e pontos similares. 

- Jogos de combates: envolvem ação, guerras, conflitos entre tribos ou populações. Esses são os tipos de jogos que mais exigem agilidade visual pelo fato de serem mais velozes. 

- Jogos de ficção: envolvem magia, fórmulas mágicas, seres metade humanos e metade animais, bens mágicos e fatores similares. 

Entre esses três modelos de jogos, qual mais você se identifica? 

Foto: Romulo de Souza/Acervo/G1 Amazonas

Como ganhar dinheiro com essa atuação?

A dúvida de muitas pessoas sobre esse novo campo profissional é como isso pode se transformar em ganhos financeiros. Por ser um mundo relativamente novo aos nossos olhos, temos muitas dúvidas sobre o que e como fazer para a "coisa acontecer". Entre as formas de monetizar a atuação como gamer, estão as seguintes: 

  1.  Vídeos monetizados: muitos dos vídeos com dicas que vemos na internet geram ganhos financeiros para o(a) autor(a). Isso funciona quando ele(a) faz a solicitação ao provedor para que a monetização seja ativada. Funciona da seguinte forma: a cada 1 mil visualizações, há um ganho. Outras plataformas têm políticas de ganhos a cada 10 mil visualizações. Os ganhos, normalmente, são calculados em dólar. 
  2. Participação em campeonatos: as disputadas entre estados ou países também são fontes interessantes para os gamers. Nem sempre pelo ganho em si, se a pessoa for campeã, mas sim pela exposição que terá, sendo visto por grandes patrocinadores, empresários do ramo ou agenciadores de negócios.
  3. Patrocínio de marcas: essa normalmente ocorre quando o(a) profissional já está estabelecido(a) no mercado. Assim, possui uma quantidade de seguidores maior, o que atrai a atenção de grandes marcas do segmento. Na maioria das vezes, essas mesmas marcas fazem as buscas e propõem o patrocínio. 
Foto: Mateus Castro/Acervo/Rede Amazônica

E como começar? 

O melhor caminho para esse início é começar em alguma plataforma de vídeos com gravações de jogos que sejam populares. A procura, por parte das pessoas, será a consequência natural disso. 

Dessa forma, os vídeos se expandem, alcançam mais pessoas e, assim, atrai mais seguidores. Por mais que pareça um trabalho simples, não é. Requer muita perseverança, pelo menos no início. 

E então? Você quer ser um(a) gamer? 

Sobre o autor

Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria, Administrador de Empresas,Especializado em Negócios, Comportamento e Recursos Humanos, Comentarista de Carreira, Emprego eOportunidade dos Jornais Bom Dia Amazônia e Jornal do Amazonas 1ª Edição, CBN Amazônia, PortalAmazônia e Consultor em Avaliação/Reelaboração Curricular.  

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista

Veja mais notícias sobre Eu Profissional.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 03 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/