Bombeiros entregam coletes salva-vidas para comunidade ribeirinha do Pará

Uma ação do Corpo de Bombeiros Militar do Pará entregou 100 coletes salva-vidas na comunidade ribeirinha do Igarapé Grande, no município de Ananindeua nesta quarta-feira (5). A medida visa ajudar na prevenção dos acidentes por afogamento nos rios paraenses e é feita em parceria com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa).

Cem coletes foram distribuídos. Foto: Sidney Oliveira/Agência Pará

Neste primeiro momento, os militares visitam as comunidades cadastradas nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). “Nós verificamos a necessidade destes coletes na comunidade e articulamos com a Sobrasa e a prefeitura de Ananindeua esta ação, que é a primeira de várias que o Corpo de Bombeiros do Pará realizará para fortalecer a prevenção dos casos de afogamento no Estado”, explicou o Tenente Coronel Carlos Farias, comandante do Grupamento Marítimo Fluvial do Corpo de Bombeiros.

Em 2014, foram registradas 142 mortes por afogamento no Pará. No ano seguinte, foram 149 e até o mês de setembro deste ano foram contabilizados 118 afogamentos em todo o Estado. De acordo com os bombeiros, 70% das ocorrências vêm dos rios, o que por consequência destaca a fragilidade da segurança nas navegações ribeirinhas.

A entrega do equipamento de segurança ocorreu na Escola Municipal de Ensino Fundamental Domiciano de Farias. No local, representantes das comunidades próximas ouviram as orientações dos bombeiros sobre o uso correto do colete salva-vidas, prevenção de acidentes aquáticos e segurança durante o procedimento de emergência na água.

Ação foi realizada pelos Bombeiros. Foto: Sidney Oliveira/Agência Pará

“Os bombeiros sempre visitam a nossa comunidade para nos orientar sobre a segurança nas embarcações e esse momento é muito importante para nós, pois vivemos do rio, com a venda do açaí e do peixe. Esses coletes já serão usados durante o Círio deste ano”, garantiu o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Igarapé Grande, Gilberto Farias. A comunidade possui 90 famílias.”Nós temos vivido uma situação em que os índices de afogamento têm aumentado em todo Brasil. A região Norte é uma das que apresentam os maiores números deste tipo de acidente devido às próprias características da região. Por isso, a importância da prevenção”, explicou o representante da Sobrasa no Pará, tenente coronel Silva Júnior.Os coletes são uma ferramenta de segurança obrigatória em qualquer embarcação, e tem como finalidade facilitar a flutuação da vítima para que ele possa resistir à água aguardando socorro ou se deslocando para um local seguro.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Língua de povo indígena na Amazônia é considerada a mais difícil do mundo

Considerada a única língua viva do tronco linguístico Mura, a língua mais difícil é falada pelo povo Pirahã.

Leia também

Publicidade