Manaus 30º • Nublado
Terça, 28 Junho 2022

O que fazer em Bragança, no Pará?

Já ouviu falar de Bragança? E da praia do Ajuruteua ou da melhor farinha do mundo? E da panela de barro da VILA-QUE-ERA, ou de um campo de sal no Pará? Da vila de pescadores e da Toca do Urubu? De um dos maiores monumentos a São Benedito no Pará e de um centro histórico lindo e único? Pois hoje irei falar de uma das cidades mais lindas do Estado do Pará, a apaixonante Bragança.

Igreja de São Benedito. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Em 1622 o território de Bragança pertencia à Capitania de Gurupi. A área foi doada por Filipe II de Portugal a Gaspar de Souza, governador-geral do Brasil.  

Lightpaint na praia da Ajuruteua. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Em 1627, foi fundada a povoação de Vera Cruz, em Viseu e apenas em 1634 foi fundado um povoado (Sousa do Caeté) nas margens do Rio Caeté por Álvaro de Souza e transferido para a outra margem devido às dificuldades encontradas com a comunicação do povoado com Belém. Em 1854 um decreto imperial criou o município de Bragança. 

Caminho para a vila de Pescadores. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Como chegar em Bragança

A cidade de Bragança fica a 210km da capital, Belém, seguindo pela BR-316, levando uma média de 3h30 a 4h de viagem. Podendo ser feita de carro, táxi intermunicipal, moto, bike e busão. Ah, você também pode ir pela ROTA TURÍSTICA BELÉM-BRAGANÇA.

Rodoviária de Belém. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Os ônibus saem da rodoviária de Belém, no bairro São Brás, pela empresa Boa Esperança, que tem diversos horários de saída iniciando às 4h45 e o último ônibus sai às 19h, e o custo médio da passagem está saindo a pouco mais de R$ 46,00, lembrando também que é necessário o pagamento da taxa de embarque que custa R$ 2,15.

O que fazer em Bragança 

Praia do Ajuruteua

Eita, vou te contar que foi um dos nomes mais difíceis de eu aprender a falar viu, sempre falava AJURITEUA, mas nossas amigas do Guarimã Hostel e Turismo sempre me corrigiam com o nome certo, AJURUTEUA.

O nome pode ser um pouquinho difícil, mas sabe o que é fácil? Se apaixonar por este lugar, fomos cedinho para ver o nascer do sol e, tá aí, uma prova da beleza gigantesca que Bragança, tem a oferecer.
Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Ajuruteua, é uma pequena vila litorânea localizada a 36 quilômetros da cidade de Bragança, nordeste do estado do Pará. É composta de uma avenida principal e uma rua transversal, a Rua das Garças, e banhada pelas águas do oceano Atlântico. 

Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Próximo à praia há vários bares e restaurantes, com uma comida deliciosa e feita com muito bom gosto pelos cozinheiros de mão cheia da região.

Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Dica, vá bem cedinho, e aproveite o dia inteiro ali, é assim poderá ver tanto o nascer do sol, quanto o por do sol, e irá se apaixonar de todo jeito!!!

Vila de pescadores 

E saindo da praia de Ajuruteua, seguimos até uma vila de pescadores daquelas apaixonantes. Pense comigo, um lugar esquecido pelo tempo, que conserva a beleza do modo tradicional de se viver bem com o que se tem e o que a natureza tem pra oferecer.

Além de seu povo bem receptivo, e de uma paisagem única, tem uma praia fantástica que virou cenário para o ensaio fotográfico da @luh_limax e também, fizemos lindos vídeos que entrarão no vídeo completinho do que fazer em Bragança.

Ensaio com a Luiza na vila de Pescadores em Bragança. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Próximo à praia, há um restaurante pousada ou pousada restaurante, que serve refeições deliciosas e também conta com uma super hospedagem rústica, ao estilo vila de pescadores, te dando a experiência de experimentar como eles dormem na região, e quando você sai do quarto, se depara com a vista para o mar, que vista linda viu! Ah, anota aí, o nome da pousada é @kiallrestaurantepousada.

Kiall Restaurante e Pousada na vila dos Pescadores. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Manguezal e Salineiras 

Ah, na estrada que segue até a vila de pescadores passamos por uma ponte linda que se encontra com o mangue, possível de se fazer passeios/visitas ecológicas usando caiaque e SUP entre os mangues para se admirar com a vida presente neste ecossistema.

Saindo da vila e passando pela ponte, pouco tempo depois, nos deparamos com uma área gigante de sal, q cena fantástica, e tivemos bastante sorte, por que uns dias depois estava completamente coberto pela água. Tudo ali o sal cobria, desde a própria terra até folhas e galhos que caiam, que cenário lindo. 

Lagoa Azul

Saindo da vila de pescadores, chegamos até a Lagoa Azul, que fica localizada nos Campos Naturais Bragantinos, na comunidade de Acarpará, distante da vila do Acarajó, uns 5km, e é cobrado o valor de R$ 10,00 por carro, para manutenção da lagoa. 

Pelas fotos já da pra perceber que o lugar é incrível, além de trazer aquele frescor frente ao calor, é perfeito para ensaios fotográficos. Dentro e fora do lago tem algumas cabaninhas para fugir do sol, que neste dia estava forte. 

Aproveitando para refrescar. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Panelas de barro e Vila que era

E dali, fomos visitar duas famílias que trabalham com a arte de fazer vasilhas de barro, uma próxima à Lagoa Azul a @ceramicadebarrobragancapa, que aprendeu com os artesãos da VILA-QUE-ERA a arte de preparar a panela e outros utensílios de barro. Já a família da VILA-QUE-ERA já trabalham a quatro gerações neste ofício, e o insta deles para que possa conhecer mais do trabalho que desenvolvem é @panelasvilaqueera

Além de panelas (principal produto de venda), fazem pratos, copos e até mesmo chaleiras. Tudo com a mais perfeita tradição e forma de manuseio que só eles têm.

Por do sol no mirante de São Benedito

Já viu o final de tarde em Bragança? Pois é assim em Bragança, ao final do dia, o sol cai atrás da cidade, trazendo um por do sol lindo sobre o rio Caeté.

Por do sol pela vista do mirante de São Benedito. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

A estátua de São Benedito, que tem mais de 16m de altura, fica acima do mirante de Bragança, e proporciona a todos que visitam a cidade, esta belíssima imagem. 

Farinha de Bragança

Outra sensação de Bragança que é referência em todos os lugares do Pará e do Brasil é a sua farinha, que tive o prazer de provar, além de ser crocante e ter o gosto de torradinha, é muiiiiiito gostosa.

Local onde era colocada a farinha para venda. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

 Já comi muita farinha pelo Brasil, mas essa leva de lavada o prêmio de melhor farinha do mundo! A dona Carmem realmente capricha viu!

Orla de Bragança

Uma orla que parece cenário de novela, essa é a Orla de Bragança!

E, para fechar a nossa viagem pelo município de Bragança, passamos pela orla da cidade, com uma estrutura antiga, que remete aos antigos casarões e uma igrejinha linda, perfeita para casamentos, BRAGANÇA é a cidade típica para #weddingdestination, pois engloba beleza para a celebração do matrimônio, quanto os ensaios e lua de mel.

Onde comer

Saindo da Lagoa Azul, seguimos até a Toca do Urubu @tocadourubuoficial, restaurante que serve uma comida deliciosa e tem uma área de banho com águas escuras , que ajuda demais a refrescar. Tem um cardápio variado que serve desde petiscos até almoços caprichados, usando claro a farinha mais gostosa do mundo, a de Bragança.

Onde se hospedar

Guarimã Hostel e Turismo. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

E, sempre em nossas viagens, ficamos nas na melhor hospedagem que o município tem a oferecer, com uma equipe fantástica, com quartos bem aconchegantes, tanto para casais, famílias, quanto para viajantes sozinhos e em grupos. O Guarimã Hostel e Turismotem uma área de convivência excelente e até piscina, além servir um delicioso café da manhã e de ter uma cozinha toda preparada para que os hóspedes sintam-se à vontade para preparar suas refeições.

Caso deseje se hospedar com conforto e ainda ter um excelente atendimento e dicas do que fazer em Bragança. Ah, recebem todos os cartões, tem wi-fi e quartos com banheiros privativos e comunitários. 

Quartos privados e coletivos. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

São ao total 7 quartos, onde 3 são compartilhados e 4 privativos, recebendo até 39 pessoas, e o valor médio da diária por pessoa no quarto compartilhado é de R$ 50,00 e no privativo R$ 65,00. E os contatos do Hostel são +5591 99278-1674 e pelo site

Servem um delicioso café da manhã e ainda tem uma cozinha montada para o preparo dos alimentos caso os hóspedes desejem cozinhar. Foto: Gildo Júnior/Bora de Trip

Sobre o autor

Gildo Júnior é fotógrafo, videomaker, aventureiro, colunista, articulista e colecionador de roteiros. Para o servidor público federal, o mundo é imenso, repleto de lugares para conhecer, de coisas para fazer, de culturas para admirar, comidas para provar e pessoas para conhecer, por isso afirma que "por mais que o mundo gire, a única coisa que não posso fazer é ficar parado".

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista


Veja mais notícias sobre Bora de Trip.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/