Manaus 30º • Nublado
Sábado, 25 Junho 2022

Projeto Criança Feliz: solidariedade em ação!

Nas comunidades ribeirinhas de Porto Velho vivem muitas crianças e essa dimensão da infância precisa ser comunicada, no sentido de evidenciar o convívio com a natureza, tradições culturais transmitidas pelos avós, pais, tendo o protagonismo da mãe nessa educação baseada em valores.

A educação familiar fortalece os laços afetivos e se estende à escola, que proporciona o acesso ao conhecimento e preparo para o exercício da cidadania. Mas, muitas crianças vivem em situações desfavoráveis, com restrições de alguma coisa e as brincadeiras infantis acabam sendo limitadas no cotidiano ribeirinho. Por exemplo, nem todas as crianças possuem brinquedos, livros infantis, celulares e o acesso a esses materiais continua sendo de uma minoria. 

O Projeto Criança Feliz surgiu com o objetivo de trabalhar a socialização das comunidades ribeirinhas, levando diversão, alegria e esperança aos moradores, principalmente às crianças. Conta com a coordenação de Lindalva Gonçalves e nesse período 19 edições foram realizadas, totalizando 20 anos de alegria e de solidariedade.


Famílias beneficiadas com o projeto. Fonte: Acervo projeto

O projeto reforça a integração entre as comunidades, o aprendizado lúdico, a socialização entre pais e voluntários no espaço ribeirinho, sendo uma campanha anual junto às instituições e colaboradores para arrecadação de brinquedos, livros e doces a serem entregues no dia das crianças. Todo ano é feita uma edição especial e escolhidas comunidades para mais serem beneficiadas com o projeto.

Apesar da pandemia, esse ano será comemorado o dia das crianças com todas as medidas de segurança para que não haja a propagação do Coronavírus no espaço ribeirinho. A edição de 2021 pretende beneficiar 500 crianças, sendo 217 meninos e 283 meninas das seguintes comunidades: Cavalcante, Lago do Cuniã, Boa Vitória, Santa Catarina, Ilha Nova, Ilha de Assunção e Firmeza. 

A brincadeira do pula corda. Fonte: acervo do projeto

As principais atividades de lazer das crianças são brincar em frente de casa, pular corda, jogar futebol, nadar com os pais em algum rio ou igarapé, assistir televisão quando se tem em casa, brincar com miniaturas de barcos, soltar pipas ou ajudar nos afazeres domésticos.

Quando o Projeto Criança Feliz chega nas comunidades há o reforço de novas brincadeiras e interações coletivas. E essa iniciativa chega em comunidades de difícil acesso, o que muito alegra às famílias ribeirinhas.

Corrida do saco. Fonte: Acervo do Projeto

O brincar colabora no desenvolvimento de uma criança, na desenvoltura oral, na socialização que gera bem-estar e felicidade. O Projeto Criança Feliz ao longo de suas edições tem levado esperança e muita diversão às crianças ribeirinhas do Baixo Madeira em Porto Velho.

Recebimento dos brinquedos. Fonte: Acervo do Projeto

Para a coordenadora do projeto Lindalva Gonçalves de Oliveira (à esquerda) o projeto tem um significado muito especial que vai além da doação de brinquedos e doces:

"Significa muito pra mim. É uma ação maravilhosa, tenho prazer de organizar, arrecadar e levar um pouco de alegria a nossas crianças ribeirinhas que só querem atenção e com tão pouco ficam felizes. É emocionante ver eles participando das atividades com alegrias. É um momento mágico e antes de doarmos brinquedos e doces, doamos carinho, amor, alegria e esperança".

As emoções das crianças são fortalecidas por meio do projeto social, tendo a participação de voluntários e professores nessa ação. A hora do lanche, ainda mais quando se tem um delicioso cachorro quente é pra lá de especial e bastante comemorada.

Momento do lanche. Fonte: Acervo do Projeto

Os voluntários preparam os lanches, fazem pinturas faciais, entregam os brinquedos, realizam as brincadeiras deixando às crianças felizes, principalmente porque nem todos pais têm condições de comprar presentes para os filhos no dia das crianças, ainda mais com o custo de vida alto na área ribeirinha. Além disso, cada família tem em média de 3 a 5 filhos.

Voluntárias do projeto. Fonte: Acervo do Projeto.

Outra importante diversão, além da bola, é brincar com miniaturas de barco, sendo uma das paixões das criançasribeirinhas. Essa brincadeira exerce uma função essencial no desenvolvimento das crianças que podem criar, inventar, imaginar e viver experiências intensas com os brinquedos.

Como nos diz o Comandante e prático Emídio Ferreira "Na realidade, toda pessoa, criança do interior é louco por barco". E essa paixão por barcos vai fazendo parte do desenvolvimento das crianças até a chegada na fase adulta, quando começam, sobretudo os meninos a atuarem como práticos de embarcações no rio Madeira.

Quem desejar contribuir com o projeto Criança Feliz entre em contato pelos telefones (69) 98432 6287 (Lindalva), (69) 99285 5040, Vanuzia (69) 99273 1058.

Que esta experiência de Olhar Amazônia com pertencimento e justiça social possa ser multiplicada para a definição de campos possíveis de ação nas políticas públicas destinadas às populações ribeirinhas. Continue nos acompanhando e envie suas sugestões no e-mail:


Lucileyde Feitosa

Professora, Pós-Doutoranda em Comunicação e Sociedade (Universidade do Minho/Portugal), Doutora em Geografia/UFPR, Integrante do Movimento Jornalismo e Ciência na Amazônia e colunista da Rádio CBN Amazônia/Porto Velho.

Veja mais notícias sobre Amazônia Ribeirinha.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 25 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/