Relógio gira no sentido anti-horário para reforçar identidade boliviana

Além da mudança no sentido do avanço dos ponteiros, o relógio teve seus números romanos substituídos pelos arábicos, que também estão com a sua ordem invertida.

É possível um relógio avançar para esquerda? É sim. Na Bolívia é possível desde a celebração do ano novo amazônico andino, em 2014, quando os ponteiros do Relógio do Congresso, na praça Murillo, em La Paz, passaram a girar em sentido anti-horário. 


À época, as autoridades do país definiram o ato como uma afirmação dos povos do sul.
Relógio do Congresso, na praça Murillo em La Paz. Foto: Reprodução/Google Street View

Além da mudança no sentido do avanço dos ponteiros, o relógio teve seus números romanos substituídos pelos arábicos, que também estão com a sua ordem invertida, sendo o um ao cinco, do lado esquerdo, e do sete ao onze, do lado direito.

Números do relógio são investidos. Foto: Reprodução/Google Street View

Para as autoridades bolivianas da época, a recuperação da identidade era um fator importante para o país entrar nos eixos. Por esse motivo, o relógio avançando para a esquerda significava um retorno às origens.

 Tour

Quem conheceu de pertinho esse prédio tão inusitado foi a influenciadora Marina Guaragna, que também contou a importância desta mudança para os bolivianos. Confira: 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: o que é comida ‘remosa’?

Um estudo buscou promover uma revisão bibliográfica sobre o tema e propor uma hipótese teórica para o fenômeno.

Leia também

Publicidade