Documentário revela como indígenas vivem isolados na Amazônia peruana

Documentaristas realizaram expedições em província peruana acompanhando o modo de vida e alguns personagens importantes do local. 

Um documentário que narra as ameaças e os modos de vida indígenas na província de Purús, na Amazônia peruana, ganhou destaque no Peru esta semana. ‘Grompes, Curumí e la niña de la papaya‘ é uma produção de Fernando Valdivia Gómez, diretor da Escola de Cinema Amazônico de Pucallpa e documentarista com ampla experiência em retratar a Amazônia peruana.

A produção cria reflexões sobre três figuras da província de Purús, em Ucayali, e é resultado de um projeto que durou décadas de trabalho nas remotas cabeceiras do rio Curanja, iniciado em 1986.

Imagem: Divulgação

A jornalista e fotógrafa Lily Saldaña registrou a “menina mamão”, imagem que se tornou popular no país. Anos depois, Lily e Fernando empreenderam um projeto para tornar visível a situação das crianças indígenas nas fronteiras, contando com a menina como personagem. Assim, o documentário narra a expedição de 1997 ao Purús em busca dessa menina e o encontro com o líder e curandeiro Huni Kuin, Grompes Puricho. 

O material coletado em mais de duas décadas foi unido com os resultados das expedições de 2021 e 2022, quando adicionaram Curumí, indígena Chitonahua em contato inicial, ao projeto.

O filme se tornou um registro importante do povo Huni Kuin e uma ferramenta de fortalecimento da identidade dos povos indígenas amazônicos, principalmente os isolados.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: qual a função de uma ‘área de preservação permanente’?

As APP são consideradas um instrumento essencial à política de preservação ambiental.

Leia também

Publicidade