Conheça três rios da Colômbia considerados curiosos e até místicos

Alguns rios ganham fama pela trafegabilidade, mas outros são famosos por serem fonte de inspiração ou pelos segredos que abrigam. 

Quem conhece a Amazônia brasileira sabe bem o quando as “estradas de águas”, os rios, são característicos da região e além de fazerem parte da locomoção e alimentação de quem vive próximo, também guardam muitos segredos e curiosidades ainda não descobertos. 

Nos demais países que compõem a Amazônia internacional não poderia ser diferente e a Colômbia é um deles que possui rios místicos e encantadores. Conheça alguns deles:

Rio Amazonas

Claro que não se pode deixar o maior rio do mundo de fora desta lista, o Rio Amazonas. Este rio se ramifica em vários rios menores na Colômbia e corre ao longo de parte da fronteira com o Peru. Cerca de 10% da floresta amazônica é encontrada em solo colombiano, cobrindo cerca de 550.000 quilômetros quadrados (cerca de 212.000 milhas quadradas). 

E o que há neste rio? Jacarés, anacondas, o arapaima gigante, as ariranhas, os tubarões-touro, as enguias elétricas, as piranhas e o lendário candiru. 

Veja também: Saiba quais outros nomes o Rio Amazonas recebe em toda sua trajetória pela Amazônia

Rio Amazonas – Foto: Reprodução/Shutterstock

Rio Putumayo

O Rio Putumayo é um clássico “rio de fronteira” que separa a Colômbia do Peru em alguns pontos e do Equador em outros. É o principal afluente do Amazonas na Colômbia, começando em Nudo de los Pastos e fluindo cerca de 1.600 km a leste. A grande vantagem do Putumayo é que é navegável em quase toda a sua extensão, fato descoberto pelo explorador francês Jules Crevaux, que o navegou dia e noite por 1.300 km em um navio a vapor no final do século XIX e nunca foi parar em qualquer corredeira. O Putumayo foi o coração do ciclo da borracha da região e, na época da conquista, uma rota de fuga para muitos indígenas que fugiam da escravidão.

Rio Putumayo – Foto: Daniel Acosta/Pixabay

Rio Magdalena

Graças ao autor colombiano vencedor do Prêmio Nobel, Gabriel Garcia Marquez, o Rio Magdalena é um dos mais famosos do mundo. O rio que flui cerca de 1.500 km ao norte do país, foi descrito nostalgicamente pelo autor sobre suas viagens de remo rio abaixo e as cidades ribeirinhas “mágicas” como Mompos, em Bolívar, criando um clima místico na região que se tornou uma fonte de inspiração e os fundamentos do Realismo Mágico, um gênero que se tornou um símbolo colombiano.

O Magdalena é o lar de centenas de peixes, bem como tartarugas, jabutis, peixes-boi, jacarés, iguanas, crocodilos e pelicanos. Além disso, também é uma rota de comércio e transporte que liga Bogotá ao Caribe. 

Rio Magdalena – Foto: Reprodução/The culture trip

*Com informações do Ministério de Comércio, Indústria e Turismo da Colômbia

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Abelhas são fonte de renda extra para agricultores familiares no Mato Grosso

Projeto Semêa, realizado pela Fundação Bunge, incentiva o uso de abelhas para fomentar agricultura regenerativa e de baixo carbono.

Leia também

Publicidade