Marujada

Conhecida como a festa do “Santo Preto”, a Marujada é uma manifestação popular e religiosa em homenagem a São Benedito

Foto: Mário Quadros/Secult-PA

Manifestação popular e religiosa iniciada pelos escravos em homenagem a São Benedito. A festividade é realizada em dezembro com a realização de novenas, esmolações e cavalhadas tendo o seu ápice nos dias 25 e 26 de dezembro, onde centenas de devotos percorrem as ruas da cidade com trajes típicos. 

A Marujada é constituída quase exclusivamente por mulheres, cabendo a estas a direção e a organização. Os homens são tocadores ou simplesmente acompanhantes. Não há número limitado de marujas, nem tão poucos há papéis a desempenhar. 

Nem uma só palavra é articulada, falada ou cantada como auto ou como argumentação. Não há dramatização de qualquer feito marítimo.

As marujas usam blusa branca, toda pregueada e rendada. A saia, comprida e bem rodada, é vermelha ou branca com ramagens de uma dessas duas cores. À tiracolo levam uma fita azul ou vermelha, conforme ramagem ou o colorido da saia. Na cabeça usam um chapéu todo emplumado e cheio de fitas de várias cores. No pescoço usam um colar de contas ou cordão de ouro e medalhas.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Publicidade

Mais acessadas:

A realidade da Reserva Legal na Amazônia e o Projeto de Lei 3334/2023

As Reservas Legais, juntamente com as APPs, desempenham um papel essencial nesse contexto, protegendo a vegetação nativa e garantindo acesso aos benefícios proporcionados pelos ecossistemas.
Publicidade

Leia também

Publicidade