Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 07 Mai 2021

Siriá

Foto: Arquivo/Agência Pará

A mais famosa dança folclórica do município de Cametá é uma das manifestações coreográficas mais belas do Pará. Dançado em pares, o Siriá é ritmado por atabaques. São duas fileiras de pares, com os homens recurvados e as mulheres requebrando os quadris, que iniciam a coreografia com a parte chamada "namoro". 

O ritmo começa lento, e, à medida que os versos vão-se desenvolvendo, a velocidade vai crescendo. A coreografia segue indicações do canto, e, no refrão, os pares fazem volteios com o corpo. O acompanhamento musical é geralmente feito por reco-reco, ganzá, tambores, banjo, flauta, pandeiro grande e maracá.

Observam-se, na movimentação coreográfica, detalhes como ritmo semelhante ao batuque africano, bem como a expressão corporal recurvada em certos momentos - característica das danças indígenas - e movimentos de braços para cima, como em várias danças folclóricas portuguesas.

A dança expressa gratidão dos indígenas e escravos africanos por um milagre. Conta-se que depois de um dia exaustivo de trabalho, os escravos eram liberados, sob fiscalização, para conseguir algo para comer. Certo dia foram à praia e encontraram grandes quantidades de siris que se deixavam apanhar facilmente. Em agradecimento, ensaiaram uma dança e deram o nome de Siriá, que narra o fato.

O nome surgiu por distorção linguística. A influência racial até hoje, em alguns lugares da Amazônia, é refletida na pronuncia de determinadas palavras. Um exemplo está na terminação de alguns nomes: "cafezal" chamam de "cafezá", "milharal" chamam de "milhará". A abundância de siris foi batizada de "siriá".

O Siriá possui um vestuário parecido com o do carimbó. As mulheres usam blusas de renda branca, saias rodadas, pulseiras, colares e enfeites coloridos na cabeça. Os homens vestem calças em tons escuros e camisas coloridas amarradas na frente. Eles também usam chapéus de palha enfeitados com flores, que as damas retiram para demonstrar alegria.

Veja mais notícias sobre Amazônia de A à ZS.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 07 Mai 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/