Publicidade

André Torbey

Home > Opiniao > Andre-torbey
André Torbey

4 atitudes que atrapalham o empreendedor

Algumas dessas atitudes são naturais e, algumas vezes, fazemos sem prestar muita a atenção nelas

André Torbey

torbey.andre@gmail.com


Se você já costuma ler e acompanhar os textos escritos aqui no JBE, já percebeu que boa parte do que escrevo aqui são experiências autobiográficas ou, ainda, conteúdos que eu gostaria de ter aprendido mais cedo na minha jornada empreendedora. 

Uma vez, li que todo conselho é um pouco autobiográfico. Na maioria das vezes, sugerimos aquilo que gostaríamos de estar fazendo ou aquilo que deveríamos fazer para obter um bom resultado. 

Nem sempre fazemos o que falamos, essa é a verdade.

 
Foto: Pixabay

Hoje, aproveito para falar sobre coisas que você não deve fazer caso queira que o seu negócio deslanche, cresça e tenha sucesso. Algumas dessas atitudes são naturais e, algumas vezes, fazemos sem prestar muita a atenção nelas. 

Mas, reforço que tudo se trata de um trabalho de construção para mudar hábitos e comportamentos. 

Vamos à lista:

Primeira coisa: comportamento! Não dá para criarmos aquela imagem do empreendedor de sucesso que passa os dias viajando, aproveitando do bom e do melhor. É preciso perceber que até atingir esse patamar tem muita estrada pela frente. E, antes de querer só curtir, tem muita mão na massa para quem quer ser bem-sucedido. 

Mesmo que o seu negócio te permita ter tempo livre, entenda que você deve, inclusive, aproveitar essas janelas para buscar novos clientes e estudar formas diferentes de melhorar o seu trabalho. 

Segundo ponto: foco! Principalmente para quem está começando. É muito tentador querer fazer muitas coisas ao mesmo tempo, mas sem foco e direcionamento você acaba desperdiçando alguns recursos valiosíssimos, como o tempo e dinheiro. 

Terceiro ponto: medo! Não há dúvidas que a jornada empreendedora é desafiadora e que em alguns momentos vai dar medo. Ainda assim precisamos ter atenção para entender as raízes disso e não deixar que o medo se torne um sabotador ou um impeditivo para agirmos em prol do nosso negócio. 

É nessas horas que precisamos reforçar a ideia de montar um plano de ação e ter uma estratégia definida com os passos necessários para a execução de nossas tarefas. 

Quarto ponto: reclamar! Eu já sei. Reclamar é muito bom. Quase todo mundo gosta. Se não fosse assim, menos gente gastaria tanto tempo e energia reclamando, não é mesmo?! O problema é que isso não leva a lugar nenhum. Só nos deixa para trás e isso pode cobrar um preço muito alto lá na frente. 

A dica é tentar, na medida do possível, ser um pouco mais positivista. E não ficar dando tanta atenção às situações ruins que estão acontecendo. Mas tirar disso uma lição positiva e logo agir para dar continuidade ao projeto. 

Qual a sua opinião sobre esses comportamentos? Tem outros que não estão na lista e que poderiam ser inseridos? 

Esse é o jeito baré de empreender.  


4 atitudes que atrapalham o empreendedor

Algumas dessas atitudes são naturais e, algumas vezes, fazemos sem prestar muita a atenção nelas

André Torbey

torbey.andre@gmail.com


Se você já costuma ler e acompanhar os textos escritos aqui no JBE, já percebeu que boa parte do que escrevo aqui são experiências autobiográficas ou, ainda, conteúdos que eu gostaria de ter aprendido mais cedo na minha jornada empreendedora. 

Uma vez, li que todo conselho é um pouco autobiográfico. Na maioria das vezes, sugerimos aquilo que gostaríamos de estar fazendo ou aquilo que deveríamos fazer para obter um bom resultado. 

Nem sempre fazemos o que falamos, essa é a verdade.

 
Foto: Pixabay

Hoje, aproveito para falar sobre coisas que você não deve fazer caso queira que o seu negócio deslanche, cresça e tenha sucesso. Algumas dessas atitudes são naturais e, algumas vezes, fazemos sem prestar muita a atenção nelas. 

Mas, reforço que tudo se trata de um trabalho de construção para mudar hábitos e comportamentos. 

Vamos à lista:

Primeira coisa: comportamento! Não dá para criarmos aquela imagem do empreendedor de sucesso que passa os dias viajando, aproveitando do bom e do melhor. É preciso perceber que até atingir esse patamar tem muita estrada pela frente. E, antes de querer só curtir, tem muita mão na massa para quem quer ser bem-sucedido. 

Mesmo que o seu negócio te permita ter tempo livre, entenda que você deve, inclusive, aproveitar essas janelas para buscar novos clientes e estudar formas diferentes de melhorar o seu trabalho. 

Segundo ponto: foco! Principalmente para quem está começando. É muito tentador querer fazer muitas coisas ao mesmo tempo, mas sem foco e direcionamento você acaba desperdiçando alguns recursos valiosíssimos, como o tempo e dinheiro. 

Terceiro ponto: medo! Não há dúvidas que a jornada empreendedora é desafiadora e que em alguns momentos vai dar medo. Ainda assim precisamos ter atenção para entender as raízes disso e não deixar que o medo se torne um sabotador ou um impeditivo para agirmos em prol do nosso negócio. 

É nessas horas que precisamos reforçar a ideia de montar um plano de ação e ter uma estratégia definida com os passos necessários para a execução de nossas tarefas. 

Quarto ponto: reclamar! Eu já sei. Reclamar é muito bom. Quase todo mundo gosta. Se não fosse assim, menos gente gastaria tanto tempo e energia reclamando, não é mesmo?! O problema é que isso não leva a lugar nenhum. Só nos deixa para trás e isso pode cobrar um preço muito alto lá na frente. 

A dica é tentar, na medida do possível, ser um pouco mais positivista. E não ficar dando tanta atenção às situações ruins que estão acontecendo. Mas tirar disso uma lição positiva e logo agir para dar continuidade ao projeto. 

Qual a sua opinião sobre esses comportamentos? Tem outros que não estão na lista e que poderiam ser inseridos? 

Esse é o jeito baré de empreender.  

TAG Cursos empreendedorismo em manaus dicas para empreenderEmpreendedorismomicro empreendedor individualo jeito bare de empreender