Publicidade

Arte

Home > Cultura > null

Dia Mundial do Livro: conheça nove obras de escritores da Amazônia

Romance, poemas, drama e comédia são alguns gêneros escritos pelos autores da região

Diego Oliveira

jornalismo@portalamazonia.com


O ato de ler é importante para a educação do ser humano, já que, através da leitura, a pessoa pode aprimorar o vocabulário, criar raciocínio rápido, além de melhorar a interpretação. É importante conhecer os variados estilos de literatura, por isso, o Portal Amazônia preparou uma lista com nove livros que são de autores amazônicas. Confira: 

 

Laura Almeida - Acre

 

O livro ‘Codinome Valery’ é um romance policial escrito pela jovem autora Laura Almeida. A história segue a protagonista, Valery, uma mulher nada comum que muda completamente de vida ao se mudar para Albany, na Califórnia. Porém, Valery acaba reencontrando um amor do passado, o que lhe faz repensar sua vida. A obra foi financiada pelo Fundo Municipal de Cultura. 

 

 
Foto: Divulgação
 

Cláudia Almeida - Amapá

 

A professora e poeta Cláudia Almeida escreveu o livro ‘Versos Insanos’. O livro traz 52 poemas que tratam das particularidades do ser humano, como desejos e angústias enfrentadas. Nele, Cláudia busca se aprofundar no mundo da poesia, versando com os sentimentos trabalhados pela autora. 

   
Foto: Divulgação
 

Jan Santos - Amazonas

 

Reunindo diferentes experiências com o luto, o escritor amazonense Jan Santos escreveu o livro ‘O dia em que enterrei Miguel Arcanjo’. A obra reúne nove histórias de pessoas que sofreram com o luto, seja pelo uso de substâncias químicas ou pelo medo da morte, e que se deparam com uma entidade feminina. O objetivo é fazer com que o leitor entenda as motivações da criatura, que surge com diferentes nomes e formas para abençoar ou amaldiçoar aqueles que desejam lhe tocar. 

   
Foto: Divulgação 
 

José Fernandes - Maranhão

 

O 14º livro de José Fernandes é uma cronologia do espiritismo no Maranhão. Intitulado ‘Veredas Eternas’, a publicação transcreve textos esclarecedores, como a do cientista Pena Ribas, ao dizer que a doutrina espírita não empalha com dogmas e não deve ficar mumificada numa vitrine de museu. Ao contrário, é uma doutrina dinâmica e progressiva, essencialmente evolutiva.  

 

 
Foto: Divulgação
 

Toni Moraes- Pará

 

O escritor paraense Toni Moraes é o responsável pelo livro ‘O ano que conheci meus pais’. A obra narra a jornada do jovem jornalista Jonas  que acompanha com atenção todos os eventos que fazem daquele ano um dos mais marcantes do último século. Ele tem planos de estar no meio disso tudo. Quer cobrir guerras e contar suas histórias.


Seu destino parece certo, mas um encontro inusitado e uma estranha revelação sobre seus pais, feita por um famoso militante político, exigem que o jovem jornalista tome uma nova direção.


Criado pelos avós depois de, aos três anos, perder a mãe e o pai em um acidente, em Belém, ele reúne coragem e parte para a capital paraense acompanhado de seu melhor amigo, o artista plástico Domenico, que enfrenta o seu próprio destino. O jornalista precisa descobrir o quanto de verdade e de mentira está por trás do que lhe contaram sobre sua família. 

   
Foto: Divulgação
 

Aldenor Pimentel - Roraima

 

'Livrinho da Silva' é uma coletânea de contos  desenvolvida por Aldenor Pimentel. As histórias se desenvolvem em torno do universo da leitura, do livro, da figura do escritor e da experiência da escrita. São narrativas de vidas transformadas a partir do contato com o livro e da experiência da leitura ou que lancem novos olhares sobre a presença do ler e do escrever no cotidiano das pessoas. Alguns textos desta coletânea foram premiados em concursos literários nacionais, com destaque para os contos ‘Tráfico’ e ‘O Dia em que Meus Escritos Já Não Eram Meus’. 

 

 
Foto: Divulgação

Nygel Filho - Rondônia

 

Nygel Filho decidiu fazer diferente na hora de contar histórias e escrever peças: cada história contada pelo escritor ele usa mesma letra do alfabeto para dar início a todas as palavras da obra. Um dos trabalhos mais conhecidos dele é o livro "Abelhas Assasinas". 

 

 
Foto: Divulgação
 

Leonardo Luiz Ludovico - Tocantins

 

O escritor tocantinense Leonardo Luiz Ludovico Póvoa lançou o livro de poesias entitulado ‘poetabrasileiros.com’. A publicação é dividida em duas partes, em uma, ele conta a historia da tecnologia, e na outra fala sobre o seu cotidiano. 

 

 
Foto: Divulgação
 

Camila Moreira - Mato Grosso

 

Apaixonada pela série de livros ’50 Tons de Cinza’, a escritora de Mato Grosso, Camila Moreira decidiu se aventurar no universo da literatura. Em ‘8 Segundos’, conhecemos Pietra, filha única de um rico fazendeiro, que sempre teve tudo o que quis. Para realizar mais um de seus caprichos – viver em Paris em seu próprio apartamento –, ela é obrigada pelo pai a passar uma temporada na propriedade da família. Lá, ela conhece o veterinário Lucas, um homem simples e determinado, que sonha em competir nos grandes rodeios do país. Quando o peão conhece a patricinha, faz de tudo para não se deixar levar pelos lindos olhos verdes da filha do patrão. Mas antes que possam viver este amor, a revelação de um terrível segredo do passado mudará suas vidas para sempre. 

 

 
Foto: Divulgação 
   
Arte

Dia Mundial do Livro: conheça nove obras de escritores da Amazônia

Romance, poemas, drama e comédia são alguns gêneros escritos pelos autores da região


O ato de ler é importante para a educação do ser humano, já que, através da leitura, a pessoa pode aprimorar o vocabulário, criar raciocínio rápido, além de melhorar a interpretação. É importante conhecer os variados estilos de literatura, por isso, o Portal Amazônia preparou uma lista com nove livros que são de autores amazônicas. Confira: 

 

Laura Almeida - Acre

 

O livro ‘Codinome Valery’ é um romance policial escrito pela jovem autora Laura Almeida. A história segue a protagonista, Valery, uma mulher nada comum que muda completamente de vida ao se mudar para Albany, na Califórnia. Porém, Valery acaba reencontrando um amor do passado, o que lhe faz repensar sua vida. A obra foi financiada pelo Fundo Municipal de Cultura. 

 

 
Foto: Divulgação
 

Cláudia Almeida - Amapá

 

A professora e poeta Cláudia Almeida escreveu o livro ‘Versos Insanos’. O livro traz 52 poemas que tratam das particularidades do ser humano, como desejos e angústias enfrentadas. Nele, Cláudia busca se aprofundar no mundo da poesia, versando com os sentimentos trabalhados pela autora. 

   
Foto: Divulgação
 

Jan Santos - Amazonas

 

Reunindo diferentes experiências com o luto, o escritor amazonense Jan Santos escreveu o livro ‘O dia em que enterrei Miguel Arcanjo’. A obra reúne nove histórias de pessoas que sofreram com o luto, seja pelo uso de substâncias químicas ou pelo medo da morte, e que se deparam com uma entidade feminina. O objetivo é fazer com que o leitor entenda as motivações da criatura, que surge com diferentes nomes e formas para abençoar ou amaldiçoar aqueles que desejam lhe tocar. 

   
Foto: Divulgação 
 

José Fernandes - Maranhão

 

O 14º livro de José Fernandes é uma cronologia do espiritismo no Maranhão. Intitulado ‘Veredas Eternas’, a publicação transcreve textos esclarecedores, como a do cientista Pena Ribas, ao dizer que a doutrina espírita não empalha com dogmas e não deve ficar mumificada numa vitrine de museu. Ao contrário, é uma doutrina dinâmica e progressiva, essencialmente evolutiva.  

 

 
Foto: Divulgação
 

Toni Moraes- Pará

 

O escritor paraense Toni Moraes é o responsável pelo livro ‘O ano que conheci meus pais’. A obra narra a jornada do jovem jornalista Jonas  que acompanha com atenção todos os eventos que fazem daquele ano um dos mais marcantes do último século. Ele tem planos de estar no meio disso tudo. Quer cobrir guerras e contar suas histórias.


Seu destino parece certo, mas um encontro inusitado e uma estranha revelação sobre seus pais, feita por um famoso militante político, exigem que o jovem jornalista tome uma nova direção.


Criado pelos avós depois de, aos três anos, perder a mãe e o pai em um acidente, em Belém, ele reúne coragem e parte para a capital paraense acompanhado de seu melhor amigo, o artista plástico Domenico, que enfrenta o seu próprio destino. O jornalista precisa descobrir o quanto de verdade e de mentira está por trás do que lhe contaram sobre sua família. 

   
Foto: Divulgação
 

Aldenor Pimentel - Roraima

 

'Livrinho da Silva' é uma coletânea de contos  desenvolvida por Aldenor Pimentel. As histórias se desenvolvem em torno do universo da leitura, do livro, da figura do escritor e da experiência da escrita. São narrativas de vidas transformadas a partir do contato com o livro e da experiência da leitura ou que lancem novos olhares sobre a presença do ler e do escrever no cotidiano das pessoas. Alguns textos desta coletânea foram premiados em concursos literários nacionais, com destaque para os contos ‘Tráfico’ e ‘O Dia em que Meus Escritos Já Não Eram Meus’. 

 

 
Foto: Divulgação

Nygel Filho - Rondônia

 

Nygel Filho decidiu fazer diferente na hora de contar histórias e escrever peças: cada história contada pelo escritor ele usa mesma letra do alfabeto para dar início a todas as palavras da obra. Um dos trabalhos mais conhecidos dele é o livro "Abelhas Assasinas". 

 

 
Foto: Divulgação
 

Leonardo Luiz Ludovico - Tocantins

 

O escritor tocantinense Leonardo Luiz Ludovico Póvoa lançou o livro de poesias entitulado ‘poetabrasileiros.com’. A publicação é dividida em duas partes, em uma, ele conta a historia da tecnologia, e na outra fala sobre o seu cotidiano. 

 

 
Foto: Divulgação
 

Camila Moreira - Mato Grosso

 

Apaixonada pela série de livros ’50 Tons de Cinza’, a escritora de Mato Grosso, Camila Moreira decidiu se aventurar no universo da literatura. Em ‘8 Segundos’, conhecemos Pietra, filha única de um rico fazendeiro, que sempre teve tudo o que quis. Para realizar mais um de seus caprichos – viver em Paris em seu próprio apartamento –, ela é obrigada pelo pai a passar uma temporada na propriedade da família. Lá, ela conhece o veterinário Lucas, um homem simples e determinado, que sonha em competir nos grandes rodeios do país. Quando o peão conhece a patricinha, faz de tudo para não se deixar levar pelos lindos olhos verdes da filha do patrão. Mas antes que possam viver este amor, a revelação de um terrível segredo do passado mudará suas vidas para sempre. 

 


TAG acreamapaamazonasmato grossomaranhaororaimarondoniatocantinsparaliteraturalivrosdia mundial do livro