Portal Amazônia responde: o que é a esporotricose?

Trata-se de uma zoonose que pode afetar pessoas e animais, especialmente gatos, causada por fungos.

A esporotricose é uma zoonose que pode afetar pessoas e animais, especialmente gatos, causada por fungos do gênero Sporothrix. Em animais, os sintomas mais comuns são feridas profundas na pele (úlceras), que não cicatrizam e se espalham rapidamente. Os sintomas iniciais em humanos são lesões similares a uma picada de inseto.

O fungo da esporotricose pode ser transmitido aos animais e às pessoas pelo contato com materiais contaminados, como casca de árvores, palha, farpas, espinhos ou terra. Em contato direto, o animal contaminado transmite a doença por meio de arranhões, mordidas ou contato com a pele lesionada.

A doença tem tratamento e, na maioria dos casos humanos e em animais, pode ser feita com a administração de antifúngico, que deve ser receitado por médico ou veterinário.

Foto: Reprodução/Pixabay

Desde 2020, o município de Manaus, no Amazonas, já registrou 240 casos de esporotricose animal, a maioria na população felina, além de 160 casos de esporotricose humana, por meio do Centro de Zoonoses.

“Os gatos, por suas características naturais, têm mais o hábito de acessar a rua, e por isso estão mais expostos ao risco de transmissão da doença. Por causa disso, a Semsa também vai organizar o mutirão de castração, já que, após esse procedimento, os animais ficam menos agressivos, reduz o interesse em sair de casa para acasalar e também vai diminuir o número de animais abandonados nas ruas”, explica a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira.

Para mais informações sobre esporotricose animal, a população de Manaus pode entrar em contato pelo Disque-Saúde (0800 280 8 280), de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h; no WhatsApp (92) 98842-8484 (esporotricose); ou pelo e-mail cczcidadao@pmm.am.gov.br.

Para pacientes com suspeita de esporotricose humana, a Semsa disponibiliza atendimento médico em oito unidades de saúde:

Disa Norte

– Clínica da Família Carlson Gracie – avenida Curaçao, s/nº, Nova Cidade
– UBS Armando Mendes – rua Aragarças, s/nº, conjunto Manoa, Cidade Nova
(Policlínica de Referência – Dr. José Antônio da Silva);

Disa Sul

– Clínica da Família Dr. Antônio Reis – rua Escandinávia, São Lázaro
(Policlínica de Referência Castelo Branco);

Disa Leste

– Clínica da Família Severiano Nunes – rua das Dálias, s/nº, Jorge Teixeira
– UBS Luiza do Carmo – avenida Ministro Mário Andreazza, 5.585, Vila da Felicidade
(Policlínica de Referência Dr. Antônio Comte Telles);

Disa Oeste

– UBS Vila da Prata – rua Gusmania, s/nº, conjunto Ajuricaba, bairro Alvorada
– UBS Santo Antônio – rua Promécio, s/nº, Vila da Prata
– UBS Ajuricaba – rua Lauro Bittencourt, s/nº, Santo Antônio
(Policlínica de Referência Djalma Batista)

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: qual a função de uma ‘área de preservação permanente’?

As APP são consideradas um instrumento essencial à política de preservação ambiental.

Leia também

Publicidade