Manteiga de bacuri garante nutrição, energização e bem-estar da pele

A manteiga extraída das sementes do fruto típico da região amazônica é rica em sais minerais e responsável por produzir a serotonina, neurotransmissor associado à sensação de bem-estar.

Foto: Reprodução/Beraca 

Com o passar dos anos, a pele sofre com os sinais de envelhecimento. Isso ocorre porque a energia celular é reduzida de maneira significativa e, consequentemente, não consegue mais manter o metabolismo necessário para prevenir o aparecimento de rugas, manchas e ressecamento. Para garantir a saúde da pele madura, a empresa paulista Beraca, uma das principais fornecedoras de ingredientes naturais e orgânicos para as indústrias, desenvolveu a Manteiga de Bacuri. O ingrediente é capaz de recarregar a energia das células, nutrir e promover o bem-estar da pele.

A manteiga extraída das sementes do fruto típico da região amazônica é rica em sais minerais (Magnésio, Zinco e Cálcio), possui as vitaminas D2, E e K, além de possuir o aminoácido triptofano, que, na presença de luz, é responsável por produzir a serotonina, neurotransmissor associado à sensação de bem-estar.

Para a gerente de negócios da Beraca, Juliana Frutuoso, a manteiga de bacuri leva a energia da natureza para a pele, pois diferentemente dos produtos sintéticos anti-idade, que focam apenas na redução de rugas e de linhas de expressão, ela atua diretamente no metabolismo celular. “Esse é um ingrediente que possui propriedades capazes de influenciar fatores estruturais, como a função da barreira cutânea, que minimiza a perda de água, e a hidratação profunda, o que garante uma pele com um aspecto mais saudável, com mais energia e nutrição”, pontua.

Com o envelhecimento natural do organismo, a tendência é que a energia celular diminua e, consequentemente, as células não consigam mais manter os mecanismos de proteção e reparação adequados para minimizar os efeitos provocados por ações externas, como poluição, radiação, vento e estresse físico. “A Manteiga de Bacuri conta com sais minerais e vitaminas necessárias para manter o equilíbrio metabólico, sua aplicação garante a melhoria em alguns padrões fisiológicos. No longo prazo, isso resulta em uma pele mais saudável”, avalia Juliana.

Comprovação

Para comprovar o poder de nutrição da matéria-prima, a Beraca realizou testes in vitro com cultura de células da pele, e avaliou a produção de energia celular (ATP). Nesse teste, notou-se um aumento de, em média, 40% da energia celular. Além disso, foram realizados testes clínicos com mulheres de mais 45 anos, com a Manteiga de Bacuri em concentrações de 2% e 4%, ao longo de 15 dias. A análise comprovou que, em média, houve uma melhora na integridade da barreira cutânea de 30%, uma redução da taxa da perda de água da pele para o meio externo em 8% e o aumento da hidratação profunda em 15%.

“Os testes nos mostraram que a Manteiga de Bacuri é uma das grandes inovações da indústria cosmética, pois com um único ingrediente é possível promover vários benefícios que garantem uma condição de saúde adequada para a pele madura”, ressalta a gerente de negócios da Beraca.

Preocupação com o meio ambiente

Muito mais do que proporcionar benefícios às peles maduras, o produto também tem função no desenvolvimento social e econômico da região amazônica. O ingrediente é obtido por meio de um trabalho realizado em parceria com comunidades que comercializavam apenas a polpa do fruto para a produção de alimentos, como doces, sorvetes e sucos, e descartavam as sementes. Após identificar a eficiência das sementes em aplicações cosméticas, a Beraca transformou o que era considerado lixo em uma fonte de renda extra.

A iniciativa é uma das ações que compõe o Programa de Valorização da Sociobiodiversidade, criado em 2000 e que é baseado nos alicerces: Rentabilidade Adequada, Preservação da Água e Biodiversidade e Desenvolvimento Humano de Forma Equilibrada. Trata-se de um projeto que atua como uma ponte entre mais de 100 comunidades agroextrativistas espalhadas pelo Brasil, com mais de 2.500 famílias, e os principais fabricantes mundiais de cosméticos. Isso faz com que a empresa conecte a biodiversidade brasileira a milhares de consumidores por meio de uma relação de transparência, rastreabilidade e inovação.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Borboleta amazônica híbrida: pesquisa comprova nova espécie

As análises genéticas e ecológicas indicam que os primeiros cruzamentos entre as duas espécies de borboletas que originaram a nova ocorreram há cerca de 180 mil anos.

Leia também

Publicidade