Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Terça, 20 Outubro 2020

Fumaça sobre Manaus: saiba quais os riscos à saúde

MANAUS – Desde as primeiras horas do dia até à noite, a fumaça que cobre Manaus, além da curiosidade sobre sua origem, a preocupação com a saúde da população. Irritações nos olhos, espirros e tosses são alguns dos sintomas imediatos que a fumaça causa a quem está exposto. O Portal Amazônia conversou com dois especialistas do aparelho respiratório para explicar quais os riscos à saúde humana.O médico pneumologista Evandro Martins explica que quanto mais a pessoa fica exposta à poluição [fumaça] o quadro sintomático fica mais grave. “A fumaça proveniente de queimadas orgânicas, ou seja, de florestas, materiais orgânicos e não tóxicos, causa sintomas imediatos: irritação dos olhos, vermelhidão da mucosa, irritação conjuntival, lacrimejamento e diminuição da visibilidade”, elenca o especialista.Também pode ocorrer obstrução nasal, espirros, coriza e até sangramento. Segundo Evandro Martins, a mucosa que reveste o nariz irrita e inflama, o que causa o sangramento. Tosse seca e irritativa, falta de ar e cansaço, bem como chiado no peito também podem ocorrer.Foto: ShutterstockO especialista confirma que uma fumaça como esta pode desencadear doenças como rinite alérgica, falta de ar e bronquites. “De imediato, pessoas que já possuem problemas respiratórios apresentam danos de maneira severa, como crise de asma, rinite, sinusite. Aumenta também a incidência de pneumonia. Os sintomas se agravam com a fumaça”, explica.Diretor-presidente da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), o pneumologista Edson de Oliveira Andrade concorda com a afirmação de Evandro. “Esperamos que a fumaça sobre Manaus não seja prolongada, porque aí teremos um problema de saúde pública”.CuidadosAndrade alerta ainda sobre grupos de risco. Crianças, idosos e pessoas já acometidas por doenças respiratórias devem ter cuidados redobrados. “Evitar a exposição é imprescindível. Se estiver longe do foco do incêndio, as melhores opções são ficar em casa, tomar bastante líquido e evitar o contato com a fumaça. Se estiver próximo ao foco, saia do local o mais depressa possível, procure a casa de um parente distante para evitar o contato com a poluição”, diz.De acordo com o pneumologista Evandro Martins, a máscara pode ajudar a diminuir o contato com a fumaça. Edson de Oliveira concorda e acrescenta que passar pano molhado no rosto pode também ajudar a hidratar as vias aéreas em caso de exposição extrema.A reportagem também questionou sobre os danos a pessoas expostas por muito tempo, como o caso de motoristas de ônibus e outros trabalhadores de áreas abertas. O pneumologista Evandro Martins diz que não se pode prever. “Varia de pessoa para pessoa. Mas hoje sabemos que algumas doenças que acometem o pulmão têm causas que podem ser atribuídas a esses fatores ambientais. É algo para se investigar”, enfatiza o pneumologista.Com o agravo dos sintomas, o mais indicado, de acordo com os dois médicos, é procurar o serviço de saúde mais próximo. Casos registrados em ManausEm nota, a Secretaria de Saúde do Município comunicou que não houve aumento na demanda de pessoas com desconforto respiratório ou agravamento de quadros de infecção respiratória. No entanto, o portal de notícias G1 Amazonas divulgou que, na manhã desta quinta-feira (1), foram hospitalizadas 13 pessoas - dentre elas, quatro crianças - com problemas respiratórios.

Veja mais notícias sobre Saúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 20 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/