Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Segunda, 06 Julho 2020
chatbot-health-tech

Pesquisadores da UEPA vão realizar 27 mil testes de Covid-19 para medir a expansão da pandemia no Pará

teste-rapido-covid19

Identificar o quantitativo de pessoas infectadas ou não pelo novo Coronavírus, além de medir a expansão da pandemia em Belém e municípios do interior. Esses são os objetivos de uma pesquisa epidemiológica que o governo do Pará começa a realizar, nesta terça-feira (30), nas oito regiões de regulação do Pará.

Teste rápido covid-19. (Foto:Divulgação)


Segundo Maitê Gadelha, diretora técnica da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), serão utilizados testes rápidos, por meio da furada de dedo. "Dentre os principais objetivos estão, justamente, o de identificar esse número de pacientes que já foram infectados e ver essa previsão epidemiológica da doença no Pará como um todo", destacou.


O projeto será coordenado por técnicos da Sespa, professores da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e pesquisadores do Instituto Acertar, que é uma instituição da Região Norte especializada em pesquisas quantitativas e qualitativas.


Os resultados do estudo 'Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19' vão subsidiar o planejamento, assim como a implementação de políticas públicas eficientes para o enfrentamento da doença em todas as regiões paraenses.


Quantitativo


A pesquisa será aplicada em 52 municípios paraenses, escolhidos conforme setores censitários do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em todas as cidades, serão desenvolvidos inquéritos epidemiológicos, tanto na zona rural quanto na urbana.


O levantamento será dividido em duas etapas: a primeira será a aplicação de questionários de múltipla escolha, para identificar o perfil demográfico e socioeconômico da população, assim como a presença ou não de sintomas da doença, a relação com a pandemia e com as medidas de proteção contra o vírus; a segunda será a testagem aleatória para a Covid-19, chamada de 'Teste do IGG', a qual inicia já nesta terça-feira (30), em Belém e Ananindeua, ambos da Região Metropolitana de Belém.


Na próxima semana, a partir do dia 6 de julho, a testagem segue para os outros 50 municípios. Após 20 dias, em média, a mesma metodologia é repetida nas localidades.


"Com isso, conseguimos medir a prevalência e a velocidade da expansão da pandemia, ajudando os órgãos a se planejarem. A ideia, inicialmente, é testar 27 mil pessoas aproximadamente", informou Clay Anderson Chagas, professor da Uepa.

A expectativa é que sejam abordadas pessoas de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 16 anos, residentes nos domicílios de abrangência do estudo. A pesquisa utilizará os testes rápidos como base, os quais emitem resultados após 15 ou 20 minutos e indicam se a pessoa tem ou não os anticorpos do novo coronavírus. Segundo o professor da Uepa, as equipes devem ficar de 4 a 5 dias em cada região.

Veja mais notícias sobre EducaçãoSaúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 06 Julho 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

No Internet Connection