Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quinta, 24 Setembro 2020

Comissão aprova direito de indígena se expressar em juízo na sua própria língua

Comissão aprova direito de indígena se expressar em juízo na sua própria língua
Caso a proposta seja aprovada, indígenas poderão falar na língua nativa em instrução de processos criminais. Foto: Reprodução/ISA
O Projeto de Lei 2397/2015, da deputada Erika Kokay (PT-DF), que prevê o direito de indígenas se expressarem em língua nativa durante a instrução de processos criminais foi aprovada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (25). Segundo a proposta, indígenas acusados, testemunhas ou vítimas de infrações penais tem o direito de falar na língua própria do povo ao qual pertence e deverá ser acompanhado de intérprete nomeado pelo juiz do caso.

Para a deputada, o projeto de lei tenta assegurar o direito dos indígenas, que muitas vezes por falta de domínio da língua portuguesa em interrogatórios leva a morosidade dos julgamentos. Segundo Erika, esse é um dos fatores que contribuiu para casos de prisões arbitrárias no Brasil.

De acordo com o relator, o deputado Luiz Couto (PT-PB), o texto foi aprovado pois leva em consideração as necessidades específicas dos povos indígenas na nossa sociedade, mantendo o tratamento igualitário a todos. “Cremos que a atuação de um intérprete, quando se fizer necessário, e nomeado pelo juízo, trará um tratamento mais equânime aos índios que precisam comparecer perante o Judiciário”, disse Couto.

O projeto continua em processo de tramitação pela Câmara e foi encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 24 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/