Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quarta, 23 Setembro 2020

16º Fórum de Governadores da Amazônia define Carta de Rio Branco

16º Fórum de Governadores da Amazônia define Carta de Rio Branco
Construir uma agenda colegiada para a Amazônia Legal e apresentar a riqueza intrínseca de seus recursos naturais, sua diversidade cultural e seu potencial econômico, reafirmando a importância estratégica da região para o equilíbrio do clima e a qualidade de vida do mundo: este é o objetivo da Carta de Rio Branco. O documento foi assinado pelos representantes de todos os estados da região amazônica no encerramento do 16º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, que aconteceu na noite desta quinta-feira (26), em Rio Branco, no Acre.
Foto:Reprodução/Agência Acre
O documento preza, sobretudo, pela defesa da região, além de cobranças e o registro das conclusões das cinco câmaras temáticas realizadas ao longo do dia.
Anfitrião do evento, o governador Tião Viana ressalta os compromissos marcados no documento. “O Acre está maduro, nas suas responsabilidades. Nosso estado alcançou os seus resultados de metas propostas, e isso é comprovado. Reduzimos em 34% o desmatamento no estado no último ano. Conservar é uma questão que nos orgulha”, conta.
Representando o Ministério do Meio Ambiente, Everton Lucero, secretário de Mudança do Clima e Florestas, ressaltou o papel do governo federal na concretização dos objetivos estipulados pelo documento. “Nós queremos que contem com o Ministério do Ambiente como parceiro nessa reivindicação, queremos que o mundo valorize, reconheça e saiba que a manutenção da floresta, a conservação com o desenvolvimento sustentável, é um benefício de toda a humanidade e nós, em conjunto, somos os primeiros interessados em que isso aconteça. Estamos nessa reunião e com a Carta de Rio Branco reforçando a voz da Amazônia junto ao mundo”, disse.
Diálogo e parcerias
Para o governador do Mato Grosso, Pedro Taques, o 16º Fórum e o documento passam um sentimento de mudança. Ele ressaltou ainda o protagonismo do Acre e do estado do Centro-oeste nas questões de desenvolvimento ambiental e de redução do desmatamento.
“Nós assumimos metas diferenciadas. Enquanto as metas da República [Brasileira] foram para 2030, Mato Grosso e Acre foram [antecipadas] para 2020. A sociedade mato-grossense assumiu o compromisso de desenvolver mais e não desmatar mais”.
Já para o governador de Rondônia, Confúcio Moura, as atitudes devem ser enérgicas: “A Amazônia é grande e submissa. Grande e sem força. Precisamos de um poder maior. De um consórcio generoso”.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 23 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

No Internet Connection