Pesquisa amazonense aponta alternativa na produção de filmes de hidrogel para aplicação em doenças de pele

O filme de hidrogel, ou biofilme, é muito utilizado na área biológica para a liberação controlada de água e princípios ativos que ficam retidos em sua rede cristalina.

Uma pesquisa, realizada no Amazonas, analisa os óleos essenciais advindos da floresta amazônica com princípios ativos para aplicação em filmes de hidrogel com potencial para auxiliar no tratamento de doenças de pele. O estudo é realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), via Programa de Apoio à Ciência, Tecnologia e Inovação em Áreas Prioritárias para o Estado do Amazonas (CT&I Áreas Prioritárias), apoiada pelo Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

O filme de hidrogel, ou biofilme, é um polímero de cadeias longas de carbono, que formam uma rede entrecruzada, com a finalidade de reter uma grande quantidade de moléculas de água, que armazenam cerca de 90% de água em sua estrutura reticulada, e possuem eficiência durante sua aplicação. São muito utilizados na área biológica para a liberação controlada de água e princípios ativos que ficam retidos em sua rede cristalina.

No estudo coordenado pela doutora em Ciências, Cristina Gomes da Silva, da Ufam, a principal motivação do projeto é o desenvolvimento de materiais curativos inovadores, de modernas tecnologias e baixo custo, visando um produto final de aplicação tanto em ambiente hospitalar pós-cirúrgicos, quanto doméstico de uso comum.

Foto: Cristina Gomes da Silva/Acervo pessoal

Segundo a pesquisadora, os óleos essenciais possuem princípios ativos em sua composição que agem no mecanismo de quebra da parede celular dos microrganismos, interrompendo seu processo de multiplicação e crescimento, promovendo a recuperação mais efetiva dos ferimentos e em menores intervalos de tempo, contribuindo para o bem-estar do paciente.

“Resultados preliminares apontam que o óleo essencial do pau rosa, extraído de árvore nativa da região amazônica, apresenta cerca de 97% do ativo de linalol, um importante componente que age efetivamente na ruptura da parede celular dos microrganismos”, 

destacou Cristina Gomes.

Foto: Cristina Gomes da Silva/Acervo pessoal

O estudo contribuiu para a adequação da melhor concentração para o preparo dos filmes de hidrogel no combate aos fungos e bactérias que crescem em feridas dérmicas.

Os hidrogênios ativos com óleo essencial de pau rosa foram testados em relação às propriedades físico-químicas, composição química, resistência mecânica, capacidade de intumescimento e liberação de ativos controlados.

A pesquisa enfatiza que tanto os óleos essenciais quanto os filmes ativos foram testados com relação às propriedades biológicas, apresentando excelentes resultados de crescimento de zona de inibição e morte das bactérias.

A pesquisadora afirma que o suporte aos projetos de pesquisa científicos é relevante para o desenvolvimento do conhecimento acadêmico, do estudo de novos materiais que tragam o bem-estar e evolução da sociedade. “O avanço das pesquisas científicas e a formação de novos profissionais capacitados para a pesquisa, no estado do Amazonas, corrobora para o desenvolvimento regional e o avanço da sociedade de maneira abrangente, em diferentes níveis socioeconômicos”, acrescentou.

CT&I Áreas Prioritárias

O Programa visa apoiar propostas de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, ou de transferência tecnológica, nas diferentes áreas do conhecimento, coordenadas por pesquisadores residentes no estado do Amazonas, vinculados às instituições de pesquisa ou ensino superior ou centros de pesquisa de natureza pública ou privada sem fins lucrativos, que busquem o avanço e o aprofundamento das áreas do conhecimento e o estudo de seus problemas e desafios, contribuindo com o desenvolvimento do ecossistema científico, tecnológico e de inovação no Amazonas.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Governo apresenta medidas implementadas na Terra Yanomami à Corte Interamericana de Direitos Humanos

Entre as novidades de 2024 apresentadas pela representante do governo brasileiro, está a implantação da Casa de Governo, em Boa Vista, Roraima.

Leia também

Publicidade