Manaus 30º • Nublado
Segunda, 29 Novembro 2021

O Primeiro Programa Infantil Produzido pela Rede Amazônica Titio Barbosa e Marília Barbosa

WhatsApp-Image-2021-10-25-at-11.26.45-2 Lea Regina, Marília Barbosa, Jaqueline Brito, Yara Helena, Letícia Benzi, Luciana Benzi, Ana Cristina e Gláucia Soares/Acervo: Abrahim Baze

É através da arte que o artista mostra a grandeza do seu talento e acaba extravasando toda sua poderosa sensibilidade.

O talento aliado à sensibilidade no campo da teledramaturgia são as autênticas armas das quais se utilizava a jovem Marília Barbosa, naturalmente, sempre conduzida por seu pai, Titio Barbosa. Este, por sua vez, é nome reconhecidamente voltado para o teatro infantil. 

Titio Barbosa, fazia um programa na Rede Amazônica em 1973/Acervo: Abrahim Baze

Apaixonado pelo que faz, como tal, tem se comportado ao longo de sua luminosa e iluminada vida artística, não apenas no que se refere às manifestações da arte interpretação, mas também na produção dos seus textos impregnados de talento e amor à arte, onde as palavras se transformam em cores e imagens, penetrando nas emoções com inigualável inspiração no verde de nossa mata, na imensidão das águas dos nossos rios e, até mesmo, nas lendas dos nossos aborígenes e nas tradições do nosso povo, em especial ao público infantil, a quem ele tanto ama.

Com argúcia artística em seu texto, o que lhe é mais caro, cujo objetivo sempre foi a conquista do sorriso de uma criança.

A teledramaturgia infantil teve como primeira fonte o rádio, de onde saiu quase que integralmente sua habilidade. Daí para os palcos foi uma questão de tempo, apenas com as modificações estritamente necessárias, porque, afinal, havia também a necessidade de levarmos a imagem.

Lea Regina, Marília Barbosa, Jaqueline Brito, Yara Helena, Letícia Benzi, Luciana Benzi, Ana Cristina e Gláucia Soares/Acervo: Abrahim Baze

A Rádio fornecia os profissionais que iram contribuir, como pioneiros, com suas participações com o novo veículo que acabara de chegar, a Rede Amazônica.

A Rede Amazônica começou a ser percebida como um veículo que se incorpora ao dia-a-dia da nossa cidade, uma espécie de companheira eletrônica, que procurava permanecer sempre perto do telespectador.

Foi neste contexto que Titio Barbosa foi convidado pelo diretor-presidente Dr. Phelippe Daou a integrar-se à família Rede Amazônica, ele, por sua vez, trouxe consigo seus filhos: Sandra Marília e Flávio Almério, que juntamente com Hélio Souto, chegaram a fazer mais de duzentos programas, cujo, título era O Mundo das Crianças, que era levado ao ar de segunda a sexta-feira, aos sábados, sua filha apresentava o programa ao vivo Viva Marília, o que, na época, já proporcionava uma expressiva audiência.

Marília Barbosa - A primeira apresentadora do programa infantil da Rede Amazônica/1973. Falecida ainda jovem, no dia 3 de outubro de 1983/Acervo: Abrahim Baze

Marília Barbosa foi a primeira apresentadora de programa infantil na Rede Amazônica.

Um dos momentos mais sublimes de participação ocorreu na mini novela exibida pela Rede Amazônica, cujo, título era Sonho de Popi, que, na época, era dirigida por Rosivaldo Ferreira e era composta por quatro capítulos. Foram cameraman deste trabalho: Augusto Edson e Manoel Nazareno, o primeiro ainda faz parte do quadro de funcionário da emissora e o segundo fez parte até morrer.

Lamentavelmente, Marília Barbosa faleceu ainda jovem, no dia 3 de outubro de 1981, mas sua memória permanece viva na lembrança de todos que tiveram o prazer de assisti-la em suas apresentações.


Flávio Américo, Marília Barbosa, e titio Barbosa/Acervo: Abrahim Baze

Titio Barbosa levava para montar um espetáculo pelo menos seis meses de ensaio. O Primeiro passo após a escolha do texto era a venda dos ingressos oferecidos nas escolas públicas e particulares aí começava a via cruces, ele visitava todas as escolas de Manaus, de sala em sala, anunciando seu espetáculo, esclarecendo o que era o teatro e mostrando que o Teatro Amazonas não era só espaço de rico, mas, do povo simples também. Além dessa divulgação era enviado aos pais uma pequena carta sobre a peça e mostrando a vantagem de comprar o ingresso na escola que era vendido mais barato.


Dessa maneira ele conseguia vender para cada espetáculo cerca de mil ingressos, cuja, receptividade estava nos bairros Alvorada, São Raimundo, Cachoeirinha e alguns colégios particulares como Dom Bosco e Auxiliadora. De certa forma, seu programa diário na Rede Amazônica era uma vitrine para venda de seus espetáculos. Titio Barbosa não ganhou dinheiro com o teatro, mas dizia que valia a pena fazer teatro infantil. Seu programa na Rede Amazônica marcou uma geração.

Veja mais notícias sobre Histórias da Amazônia.

Veja também:

 

Comentários: 1

Fátima Chamma em Segunda, 25 Outubro 2021 16:35

Parabéns a todos que fazem a Rede Amazônica , empreendedorismo, competência e comprometimento são marcas de um trabalho na Amazônia.

Parabéns a todos que fazem a Rede Amazônica , empreendedorismo, competência e comprometimento são marcas de um trabalho na Amazônia.
Visitante
Terça, 30 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/