‘Laboratório dos Sonhos’ segue com inscrições para jovens da Zona Leste de Manaus

Projeto é voltado para jovens e adolescentes de 14 a 29 anos do bairro Colônia Antônio Aleixo

Seguem abertas as inscrições para o projeto Laboratório dos Sonhos, o projeto irá acontecer em Manaus, a partir do dia 2 de março no Studio 5 Centro de Convenções e propõe repensar a metodologia do programa original, adaptando-o às necessidades locais.

O projeto é voltado para jovens e adolescentes de 14 a 29 anos do bairro Colônia Antônio Aleixo e região e busca promover o fortalecimento da resiliência e melhoria de vida para os residentes no território da Zona Leste, por meio do desenvolvimento de habilidades digitais e específicas para o mundo do trabalho na implementação de projetos sustentáveis.

De acordo com a diretora institucional da Fundação Rede Amazônica, Mariane Cavalcante, o Projeto Laboratório dos Sonhos é uma maneira de canalizar o potencial da juventude local. Ela explicou que o evento de sábado não apenas marca o início dessa jornada, mas também semeia esperança e inspiração na comunidade.

“O projeto está sendo realizado pela primeira vez no Brasil, a cidade escolhida foi Manaus e a Fundação Rede Amazônica foi escolhida para abraçar esse projeto e vamos juntos com a comunidade pensar em processos de transformação no território deles.”, destacou Mariane Cavalcante, diretora institucional da FRAM.

As inscrições estão disponíveis por meio do link https://linktr.ee/fundacaoredeam_, serão ofertaos aos inscritos transporte saindo da Colônia Antônio Aleixo, além de alimentação durante os dias do evento.

Sobre o Laboratório dos Sonhos:

O Laboratório de Sonhos é uma iniciativa do UNICEF e PNUD que nasceu no Equador em 2020, durante a pandemia da COVID-19, que visa oportunizar o aprimoramento pessoal e comunitário de adolescentes e jovens, com o intuito de buscar soluções inovadoras a partir dos desafios e problemáticas dos seus bairros e comunidades. O método adotado se caracteriza pelo uso de ferramentas participativas inovadoras, capazes de co-construir comunidades seguras, inclusivas e resilientes. Com a finalidade de liderar a concepção e implementação de projetos de inovação e transformação social, os jovens e adolescentes têm suas competências para a vida, técnicas e interculturais fortalecidas, tornando-se protagonistas de seus próprios processos de desenvolvimento. 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Riqueza botânica do Parque Estadual da Serra dos Martírios é registrada em livro 

O livro é fruto do trabalho de sete pesquisadores do Ideflor-Bio, da Embrapa Amazônia Oriental e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Leia também

Publicidade