Manaus 30º • Nublado
Sexta, 17 Setembro 2021

Pesquisadores da Unir fazem registro de onça parda em Rondônia

Um grupo de pesquisadores do Clube de Astronomia e Ciências (CAR) da Universidade Federal de Rondônia (Unir) registou, nesta semana, uma onça-parda (Puma concolor) em uma região de mata da capital Porto velho. Segundo os pesquisadores, o animal registrado no vídeo é um macho adulto.

Segundo maior felino das Américas, a onça parda possui uma coloração variando do cinzento ao marrom-avermelhado, com a ponta da cauda cor de preta, áreas laterais do focinho e ventre de cor brancas.

Foto: Reprodução/Unir

Esse registro é resultado de um projeto de levantamento de fauna do qual os pesquisadores Raul Pommer, vice-coordenador do CAR, e Wellington Nascimento fazem parte. 

Registros como esse contribuem para o melhor entendimento da ecologia desses animais, auxiliando na preservação da espécie. É um levantamento das espécies de mamíferos de grande e médio porte. 

Através de monitoramento com armadilhas fotográficas, é possível estimar quais espécies estão presentes no local e qual a densidade populacional. Espera-se que esse trabalho ajude a preservar as espécies nativas no local estudado.

Atualmente, tem sido cada vez mais frequentes relatos de aproximação deste animal com o homem. É comum em noticiários matérias sobre onças-pardas em áreas urbanas, entrando em casas e atacando animais domésticos. 

A severa redução na disponibilidade de hábitats devido ao crescimento urbano desordenado ou aumento das atividades antrópicas, e diminuição de suas presas são as principais causas do aumento na frequência de eventos como estes, assim como são os principais fatores responsáveis pelo acentuado declínio populacional que a espécie vem sofrendo ao longo de toda a sua distribuição geográfica. 

Adicionalmente, a caça e a ampliação da malha rodoviária em todo o país agravam ainda mais a situação da espécie resultando em uma perda significativa de indivíduos o que, neste caso, é extremamente grave, pois este animal tem populações com tamanhos naturalmente baixos e também uma baixa taxa de reposição.

Veja mais notícias sobre AmazôniaMeio AmbienteRondônia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 17 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/