Manaus 30º • Nublado
Segunda, 30 Janeiro 2023

Abate de jacarés é liberado pelo ICMBio em reserva rondoniense

RTEmagicC_jacares-igarapes-manaus-1

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, liberou o abate de jacaré na Reserva Extrativista (Resex) Lago do Cuniã, em Porto Velho (RO). A liberação aconteceu no dia 18 de outubro.

De acordo com o documento, a cota de abate é de 900 jacarés machos com tamanho entre 1,60  a 2,80 metros. Além disso, a cota para abate anual não pode ultrapassar de 70% para a espécie jacaré-açu e 30% para jacaré-tinga.

A carne é vendida em seis tipos de cortes: coxa e sobrecoxa, filé da calda, filé do lombo, lombo, ponta da costela e isca.

Manejo do Jacaré na Resex Lago do Cuniã, em Rondônia. Foto: Divulgação/ICMBio Cuniã-Jacundá

Segundo especialistas, os animais têm ameaçado a comunidade e os peixes, sendo a pesca a principal fonte de renda da região. O controle de forma sustentável também incentiva o empreendedorismo coletivo. Em 2012, a comunidade tinha uma população estimada de 36 mil jacarés das espécies açu e jacaré-tinga, segundo o Instituto.

Em ofício, ficou estabelecido que a Cooperativa de Pescadores, Aquicultores, Agricultores e Extrativistas da RESEX Lago do Cuniã (COOPCUNIÃ) deve providenciar tanto a regularização quanto o licenciamento ambiental para o frigorífico funcionar.

O Lago do Cuniã faz parte de uma Reserva Extrativista, criada em 1999. Há anos, mais de 80 famílias trabalham com o abate de jacaré. Para chegar ao lago, é preciso descer o rio Madeira, no sentido do Amazonas. A certa altura, dobra-se a esquerda no igarapé que dá acesso ao Cuniã. 

Veja mais notícias sobre Meio AmbienteRondônia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 30 Janeiro 2023

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/