Manaus 30º • Nublado
Segunda, 27 Junho 2022

Trilha do Peabiru: Conheça caminho que levava nativos do Atlântico para o Pacífico

Captura-de-Tela-2022-01-06-as-12.12.17

Muitos são os mistérios sobre como era a vida de nativos brasileiros antes da chegada dos portugueses e espanhóis no território. Um destes mistérios, que aos poucos ganha novos detalhes devido aos registros históricos do século XIX, como cartas e diários, é o Caminho do Peabiru.

Trata-se de uma rota transcontinental pré-cabralina (período anterior à chegada dos portugueses em 1500 ao Brasil) e que ligava o oceano Atlântico ao Pacífico.

O Portal Amazônia relembra esse sistema bastante utilizado pelos nativos indígenas e primitivos povos andinos. Confira:

Foto: Reprodução/Ambiental Blog

 O caminho

Com mais de 3 mil quilômetros, sendo 1.200 destes em território brasileiro , a trilha ligavas São Vicente, no litoral de São Paulo até Cusco, no Peru, pertencente à Amazônia Internacional

Depois de São Vicente, a rota de Peabiru passava por territórios que hoje são pertencentes ao Paraguai, Argentina, Bolívia e Peru.

Acredita-se que Peabiru signifique "caminho de gramado amassado" derivado da língua tupi "pea" = caminho e "abiru" = gramado amassado.

Intercâmbio cultural 

Além de facilitar a migração dos povos indígenas pelos territórios do continente, promovendo um intercâmbio cultural, o Caminho do Peabiru possibilitava a troca de mercadorias entre os povos.

Com a chegada dos europeus, a trilha virou palco de expedições para colonização e exploração por portugueses e espanhóis, o que possibilitou o transporte de riquezas e mercadorias entre estabelecimentos espanhóis ao longo do caminho.

Como essa trilha foi encontrada?

Após a chegada no Novo Mundo, como era conhecido o atual continente americano, os portugueses se questionavam aonde era o fim, onde terminava a extensa massa continental sul-americana. Então enviaram uma expedição para o norte (com ponto de partida do sul brasileiro) no ano de 1514.

Quando chegaram em Punta del Este, cidade do sudeste do Uruguai, os portugueses se depararam - com o que acreditavam ser um grande estreito - com o Rio da Prata, que começaram a chamar de Mar Dulce.

Nesse mesmo ano, os portugueses encontraram indígenas charrua, no Uruguai, que deram aos portugueses um machado de prata e disseram que a prata vinha de um lugar, onde o Rio da Prata nascia, com montanhas gigantes, onde vivia uma civilização bastante desenvolvida e rica em ouro e prata.

A partir daí, passaram a buscar a "tal" civilização (que era localizada no atual Peru) e outras expedições foram enviadas.

Mapa antigo que mostra a entrada para o Rio da Prata. Foto: Reprodução

Registros

Os principais registros da existência do Peabiru são através da documentação de expedições. Se destacaram as expedições iniciadas pelo português Aleixo Garcia, em 1524 que realizou os primeiros contatos com os povos incas e partiu de Santa Catarina com 2 mil indígenas carijós e chegou à Bolívia cerca de oito anos da conquista do Peru por Francisco Pizarro. 

Um dos nomes mais conhecidos em relação ao Peabiru é o do espanhol Álvar Núñez Cabeza de Vaca que foi o primeiro europeu responsável pela descoberta das Cataratas do Iguaçu e a exploração do Rio Paraguai.

Durante todo o século XVI foram constantes os relatos de viagens pelo interior das matas rumo aos Andes ou em direção ao sul e ao Paraguai. Outras expedições foram as de Johan Ferdinando (1549), dos jesuítas como o padre Leonardo Nunes, Brás Cubas e de Luís Martins (1552) e por fim, Ulrich Schmidel (1553).

Várias expedições foram enviadas ao Peru com o intuito de encontrar ouro, prata e outros metais preciosos. Foto: Marcio Masulino

Fechamento da passagem 

Em meados de 1530, em nome do rei de Portugal, foi ordenado o  fechamento do "caminho do sertão", sendo proibida, sob pena de morte, sua utilização. A justificativa era que espanhóis se aproveitariam dessa passagem e assim teriam acesso a metais preciosos, estendendo sua colonização por todo continente sul-americano.
...

Paititi: 'A cidade do ouro dos Incas' no meio da Amazônia Peruana - Portal Amazônia

De acordo com a lenda, a cidade seria construída e totalmente banhada a ouro dentro da selva habitada por seres com rostos no peito.

Veja mais notícias sobre Amazônia Internacional.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 28 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/