Manaus 30º • Nublado
Quinta, 22 Fevereiro 2024

Peru perdeu mais de 56% de suas geleiras nas últimas seis décadas

Nos últimos 60 anos, o Peru perdeu mais de 56% de suas geleiras, revela o Instituto Nacional de Pesquisa em Geleiras e Ecossistemas Montanhosos (Inaigem) em uma prévia dos resultados do Inventário Nacional de Geleiras e Lagoas de Origem Glacial (Ingloc) 2023, apresentado em 22 de novembro. 

O estudo aborda as características e dinâmicas das geleiras e lagoas das 20 cadeias de montanhas glaciais do país amazônico. O Peru contém 68% das geleiras tropicais do mundo e por isso o Ministério do Meio Ambiente (Minam) promove o desenvolvimento de estudos nacionais que gerem informações sobre a situação dos ecossistemas e seus recursos.

Neste sentido, o Inaigem atualiza o Inventário a cada cinco anos, fornecendo informação sobre o estado atual deste tipo de território, o que permite conhecer a sua quantidade, superfície, localização e principais características físicas e morfológicas.

Foto: Reprodução/Agência Andina

O âmbito de intervenção do referido inventário são as 20 cadeias montanhosas glaciais do Peru, que se distribuem em 14 departamentos. Para o desenvolvimento deste trabalho foram utilizadas imagens do satélite Sentinel 2A de 2020 e área mapeável mínima de 5.000 m².

O estudo constitui uma ferramenta valiosa para a gestão dos recursos hídricos a nível nacional. Da mesma forma, torna-se útil para as autoridades, a comunidade científica e a sociedade em geral, para planearem e executarem ações de prevenção de riscos associados a estes espaços naturais, com foco na gestão eficiente dos recursos.

Inventário de geleiras 

Durante a apresentação do segundo Inventário Nacional de Geleiras e Lagoas de Origem Glacial, Albina Ruiz, chefe do setordestacou a função do estudo. "Que isto seja incorporado na gestão dos recursos hídricos e na prevenção dos riscos associados aos glaciares", disse.

"Com ações ecologicamente corretas, gerando menos poluição, cuidando e ampliando nossas áreas verdes e áreas de conservação, evitando incêndios e, principalmente, reconhecendo que a serra nos dá vida", completou.

Os resultados revelam um total de 2.084 geleiras livres cobertas por detritos rochosos (detritos), que ocupam uma área de 1.050,32 km². Da mesma forma, foram registradas 8.466 lagoas de origem glacial, o que representa uma área total de 1.081,31 km².

Entre outras descobertas, destaca-se a identificação e caracterização de 2.147 glaciares rochosos cuja extensão abrange 107,49 km². Estes não apresentam claramente a massa glacial superficial, razão pela qual foram pouco reconhecidos e estudados.

Esta pesquisa gera evidências sobre o recuo acelerado das geleiras, importantes reservas de água em todas as cadeias montanhosas do país.

Os resultados contribuem com informações relevantes, por região, para a tomada de decisões que permitem uma melhor gestão do território, em relação aos recursos hídricos. Com ênfase na adaptação à escassez de água atual e futura.

O Peru possui 68% das geleiras tropicais do mundo . Nas últimas seis décadas, esses ecossistemas sofreram uma perda de 56,22%, situação que impacta seriamente o abastecimento de água que alimenta e sustenta diferentes territórios do alto andino, como zonas úmidas, pastagens e florestas nativas, além da diversidade biológica. Tudo isto como consequência das alterações climáticas.

"Essa realidade das mudanças climáticas faz com que o Ministério do Meio Ambiente (Minam) promova o desenvolvimento de estudos nacionais que gerem informações sobre a situação dos nossos ecossistemas e seus impactos em nossas vidas, também em linha com o que é estabelecido pela Política Nacional do Meio Ambiente", disse Ruiz.

Os glaciares tropicais, mais do que outros tipos de glaciares, são indicadores das alterações climáticas. Mostram de forma mais óbvia os impactos gerados pelas mudanças climáticas. 

Veja mais notícias sobre Meio AmbienteAmazônia Internacional.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 22 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/