Vias liberadas: Águas de Manaus conclui obra de esgoto no cruzamento das avenidas Djalma Batista e João Valério

A frente de obra contou com a participação de cerca de 200 trabalhadores, que se revezaram em turnos distintos para que a obra fosse realizada sem interrupções.

A obra de implantação de rede de esgoto, no cruzamento das avenidas Djalma Batista e João Valério, no bairro Nossa Senhora das Graças, foi concluída neste fim de semana. O serviço, iniciado na noite da última quarta-feira (26), foi finalizado na noite de sábado (29). Na sequência, equipes iniciaram o trabalho de pavimentação da via, para liberação total do trânsito na madrugada desta segunda-feira (1º).

A frente de obra contou com a participação de cerca de 200 trabalhadores, que se revezaram em turnos distintos para que a obra fosse realizada sem interrupções.

O empreendimento faz parte do programa Trata Bem Manaus, que vida a universalização dos serviços de coleta e tratamento de esgoto. Durante todos os dias, agentes do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) estiveram no local orientando os motoristas.

“O período da obra foi escolhido estrategicamente por nestes dias porque é uma época que Manaus tem uma redução de fluxo de veículos devido ao Festival de Parintins e às férias escolares. Montamos uma força tarefa e conseguimos no prazo estabelecido pelo cronograma. Agradecemos a colaboração de todos e compreensão dos motoristas e pedestres que entenderam a importância do empreendimento para a cidade de Manaus”, destaca o gerente de Projetos, Jean Damaceno.

A rede coletora instalada tem extensão de 170 metros. Ela faz parte do sistema que abrange, também, a avenida Constantino Nery. Todo esgoto coletado desta região será transportado até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Educandos, onde passará por tratamento antes de ser devolvido ao rio Negro, livre de contaminações.

*Por Águas de Manaus

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Unemat empossa primeira indígena como coordenadora de curso intercultural

A professora Eliane Boroponepá Monzilar, do povo Balatiponé Umutina, foi cedida pela Seduc para coordenar o curso de Licenciatura Intercultural Indígena.

Leia também

Publicidade