Proposta de Roberto Cidade reconhece Utilidade Pública da Associação de Moradores da RDS do Juma, em Novo Aripuanã

A sede da RDS do Juma foi fundada em 28 de novembro de 2006 e tem como finalidade atender às 46 comunidades que formam a Reserva.

Foto: Acervo Aleam

Reconhecendo a importância da Associação de Moradores Agroextrativista da Reserva de Desenvolvimento Sustentável – RDS do Juma – AMARJUMA para conservação ambiental e extrativismo sustentável, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Roberto Cidade (UB), propôs o Projeto de Lei nº 1.184/2023, que declara a representação como Utilidade Pública.

Situada em Novo Aripuanã (distante 1.373,7 quilômetros de Manaus), a sede da RDS do Juma foi fundada em 28 de novembro de 2006 e tem como finalidade atender às 46 comunidades que formam a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Juma.

“A Associação de Moradores do Juma auxilia a todas as famílias da RDS, principalmente as mais carentes. A AMARJUMA desempenha um papel crucial no fomento ao desenvolvimento sustentável da região. A associação promove atividades econômicas que garantem a subsistência das comunidades locais sem comprometer a integridade do meio ambiente. Ao designá-la como Utilidade Pública fortalecemos a capacidade da associação em estabelecer parcerias e colaborações com entidades governamentais, não-governamentais e setor privado. Isso amplia a capacidade dela em implementar projetos e programas em benefício da comunidade local”, afirmou.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Mineração no Rio Madeira sob chamas enquanto o governo federal retarda adoção de políticas de incentivo à produção legalizada do setor

Relatos de moradores dão conta de que os garimpeiros bloquearam o trecho da rodovia BR-230 na tentativa de impedir a chegada de reforço policial e dificultar ações dos bombeiros.

Leia também

Publicidade