Glocal Amazônia debate as riquezas naturais e valores socioeconômicos dos recursos hídricos da Amazônia

A professora da UEA, Lu Figueiredo, que mediou o debate, explicou que a discussão abordou a importância do recurso hídrico e o valor socioeconômico que ele possui.

A Glocal Experience Amazônia, realizada durante os dias 26, 27 e 28 de agosto, foi um evento que teve como objetivo reunir lideranças globais e locais do setor de sustentabilidade para o debate sobre a valorização da Amazônia, além de discutir ideias e ações para o cumprimento da Agenda 2030, baseadas nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). 

A Glocal Amazônia é uma experiência inovadora na região, abrangendo iniciativas na busca de soluções de sustentabilidade com uma premissa simples e audaciosa: pensar global e agir local. 
Com essa premissa, pesquisadores debateram no Palácio da Justiça, no último dia de evento, 28, no palco Desafios e Soluções o tema ‘Ouro Azul’, que aborda os valores inestimáveis das riquezas hidrográficas no mundo, com um olhar especial na Amazônia, que possui a maior bacia de água doce do planeta.
Foto: Divulgação/Fundação Rede Amazõnica

Estiveram presentes no painel, os professores da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), Thiago Flores dos Santos, Lu Figueiredo, Brychtn Ribeiro de Vasconcelos e Erivaldo Cavalcanti e Silva Filho, que debateram acerca do desenvolvimento sustentável e monetização dos recursos hídricos globais e locais.

A professora da UEA, Lu Figueiredo, que mediou o debate, explicou que a discussão abordou a importância do recurso hídrico e o valor socioeconômico que ele possui.

“O tema do painel nessa conferência foi ‘Ouro Azul’ tratando sobre essa preciosidade que é a riqueza das águas. O amazonas tem a maior bacia hidrográfica do planeta e a gente trouxe para essa discussão, grandes pesquisadores”, pontua.

A mediadora do painel também ressaltou a importância do direito à informação qualificada, como garantia de participação da população na tomada de decisões sobre o tema.

“Eu também falei um pouco sobre o direito à informação ambiental e a necessidade do cidadão e das instituições de terem a informação qualificada que dê a possibilidade democrática de participação na tomada de decisões”, pontua.

Sobre a Glocal Experience Amazônia

A Glocal Experience nasceu em maio de 2022 com sua primeira edição no Rio de Janeiro. O evento retornará à capital carioca no período de 5 a 8 de outubro. Este encontro deverá ser anual e tem a intenção de ser realizado em cada Estado da Amazônia, a exemplo de Boa Vista (RR), que já recebeu uma mini edição do encontro. Em Manaus são 70 horas de conteúdo gratuito e sua programação completa está disponível no site do evento.

A Glocal Experience Amazônia tem o apoio do Governo do Amazonas, Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Secretaria do Meio Ambiente, Navegam e Parque Mosaico; idealização e operação Dream Factory; e realização Fundação Rede Amazônica. 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Plano Nacional de Mineração 2030: geologia, mineração, transformação mineral

O Brasil, salienta o Plano, é um importante produtor mundial de minérios; contudo, seu consumo per capita encontra-se entre 15% e 30% dos países que já lograram atingir níveis mais elevados de desenvolvimento.

Leia também

Publicidade