Projeto ‘A arte do silêncio’ promove teatro inclusivo para surdos em Manaus

'A Arte do Silêncio - surdos em cena' é um projeto inclusivo, desenvolvido com foco na ODS 4 - educação de qualidade. Apresentação acontece na sexta (21).

O projeto cultural ‘A arte do silêncio – Surdos em cena’ realizou oficinas gratuitas de teatro para adolescentes surdos e será finalizado com uma performance no dia 21 de junho, com entrada gratuita, no auditório do Instituto Filippo Smaldone em Manaus (AM).

“Foram mais de 60 horas de aulas teóricas e práticas, contato introdutório com conteúdo artístico, descobrindo possibilidades imaginárias e materiais do corpo, técnicas que ajudaram os alunos a desenvolverem seus potenciais artísticos e criativos que eles não imaginavam possuir, inclusive tivemos retorno positivos dos pais desses alunos”, destacou Keylla Gomes.

O projeto é coordenado e dirigido pela atriz, produtora cultural Keylla Gomes, tem a produção de Francy Junior e Anderson Mendes, expressão corporal com Suelen Siqueira e a intérprete de libras Eline Brito.

Foto: Divulgação

“Foi muito satisfatório acompanhar a evolução desse projeto, da concepção até a execução e poder conferir a motivação dos alunos ao participarem das aulas e dos ensaios”, destacou o produtor Anderson Mendes.

Com mais de 20 anos de experiência na produção cultural de Manaus, Keylla percebeu que não existe curso de capacitação exclusivo para atores surdos, o que acarreta desemprego, exclusão social, baixa auto estima social e segregação na sociedade manauara, fator esse que a motivou a escrever o projeto.

“Tivemos um projeto incrível, com um grupo de jovens talentosos que aprenderam um pouco sobre a arte do teatro e ao mesmo tempo me ensinaram sobre ser resiliente, espero e o público possa sentir toda a força desses novos artistas que agora podem se expressar através da arte, agora vamos em busca de novas oportunidades para dar continuidade a esse projeto com novas edições”, destacou Keylla Gomes.

‘A Arte do Silêncio – surdos em cena’ é um projeto inclusivo, desenvolvido com foco na ODS 4 – educação de qualidade, e foi contemplado pela Lei Paulo Gustavo, Conselho estadual de cultura do Amazonas (CONEC), Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Amazonas (SEC), Governo do Estado do Amazonas, Ministério da Cultura e Governo Federal, realização MK produções, e apoio da Ykamiaba produções e Movimento das mulheres negras da floresta – DANDARA.

A apresentação acontece às 18h no Instituto Filippo Smaldone, localizado na Avenida Tókio, n°100, no bairro Planalto.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Camu-camu é usado para enriquecer farinha de mandioca

Desidratados sob diferentes métodos tecnológicos, os resíduos agroindustriais de frutos de camu-camu, adicionados à farinha de mandioca, incrementaram significativamente os produtos finais.

Leia também

Publicidade