Startup amazonense promete revolucionar realidade de e-commerce na região Norte com entregas de mercadorias em até dois dias

A aposta da Navegam acontece com a contratação de um expert em Mobilidade e Logística que terá a missão de criar conexões no eixo Sudeste e Sul com o mercado da região Norte.

Quem já passou por alguma “dor de cabeça” devido ao longo prazo de entrega de um produto comprado via e-commerce na região Norte do Brasil sabe o quão ruim é essa experiência. A solução apontada para esse tipo de problema vem com o anúncio feito pela Logtech amazonense Navegam, ao anunciar a expansão de suas operações para o eixo: São Paulo/Manaus e Manaus/São Paulo, garantindo assim, entregas em até 48 horas.

A solução apontada pela Navegam visa entregas mais ágeis, iniciando pelo Amazonas e, posteriormente, com a previsão de expansão para toda a região Norte do Brasil. Essa nova fase de operações da Navegam acontece a partir da aposta de impulsionar os negócios com a chegada de um expert em Mobilidade e Logística no mercado nacional. Trata-se do empresário e investidor paulista, Denis Lopardo que assume o papel de Board Advisor (termo em Inglês para conselheiro consultivo) na startup amazonense.

Foto: Divulgação

“Vamos focar no e-commerce com entregas aéreas em até dois dias (48h), fortalecendo, cada vez mais, o nosso compromisso de ser a principal empresa de logística na região amazônica. Por isso, o Denis (Lopardo) vai assumir todo o eixo logístico nas regiões Sudeste e Sul, iniciando uma nova jornada na Navegam, com a visão de conquistar o mercado fora da região Norte”,

destaca o CEO da Navegam, Geferson Oliveira, ao revelar que foram realizados ensaios de alguns projetos logísticos em 2023, o que levou o grupo a decidir ingressar forte nas regiões Sudeste e Sul do País.

Nos sistemas de cálculos de preços e prazos de entregas nos site dos Correios, um envio de um Sedex simples dura em média de três a sete dias úteis, com um preço médio estimado de R$73 para envio para a capital amazonense. Já as compras internacionais simuladas em plataformas de e-commerce, giram em média de 21 dias até a entrega ao consumidor final em Manaus.

“Não é possível o consumidor comprar uma televisão em um dos maiores marketplaces do Brasil e, só porque mora numa cidade do Amazonas, ter de receber seu produto em mais de sete dias, além de pagar muito mais caro por isso! Ao mesmo tempo, é inaceitável o consumidor receber um produto que vem da China em menos tempo que um delivery do Sudeste do Brasil para o Amazonas!”, comenta o novo integrante do Grupo Navegam, Denis Lopardo.

Expert em Mobilidade e Logística 

Foto: Divulgação

A nova aposta da Navegam tem um extenso currículo de cases de sucesso, principalmente, no Sudeste do Brasil. Denis Lopardo é fundador da primeira startup de mobilidade elétrica do país que foi listada duas vezes entre as “100+ Influentes em Mobilidade do Brasil” (Estadão 2021 e 2023) e conta com um histórico de criação de startups, além da venda de uma delas.

Lopardo também fundou a startup pioneira no protocolo logístico open delivery (um protocolo de padronização do ecossistema de serviço de entregas). O executivo também é conselheiro de Pequenas e Médias Empresas (PMEs), além de negócios de impacto social.

“Como empreendedor, busco investir meu tempo e recursos em projetos de impacto positivo socioambiental, e a Navegam converge com essa motivação oferecendo tecnologia que proporciona acesso e prosperidade para a região amazônica”, sinaliza Denis.

Na visão do novo Board Advisor, sua chegada à Navegam vem para dar mais robustez, além de impulsionar as operações da Logtech amazonense no rol de captação de investimentos no Sudeste e Sul do país.

“Meu foco será de ajudar na estruturação da empresa para os próximos rounds de captação de investimentos, embarcando minha expertise de logística e de eletrificação da frota, o que vai gerar tração e oportunidades de negócios para a Navegam na região Sudeste”,

reforça ele.

Digitalização do modal fluvial 

Para o CEO da Navegam, Geferson Oliveira, a chegada de Lopardo no time vem com a possibilidade de se aproveitar o conhecimento do especialista junto às “malhas: rodoviária, marítima e aérea, que saem das regiões Sudeste e Sul, com foco em carga fracionada e carga fechada no eixo São Paulo – Manaus”.

“Sabemos das dificuldades da malha logística da região amazônica e, por isso, estamos em um processo de digitalização do modal fluvial, mapeando mais de 1.000 rios navegáveis e mais de 300 embarcações, percorrendo toda a região Norte do Brasil”, revela Geferson.

Com a entrada de Denis Lopardo, a Navegam prevê um crescimento de 20% a 30% de seu capital focado no eixo Sudeste e Sul, uma vez que um dos principais desafios da empresa é o de encontrar mercados fora da região Norte.

Denis Lopardo avalia que “a região amazônica enfrenta muitos desafios para oferecer ferramentas na logística last-mile (termo mercadológico usado para definir o percurso final do produto saindo da empresa até a entrega ao cliente), mobilidade sustentável e digitalizar o acesso às comunidades”.

Denis Leopardo. Foto: Divulgação.

“Quando falamos em levar produtos e serviços da região Sudeste para as regiões ribeirinhas na Amazônia, verificamos que o desafio é ainda maior. Nesse sentido, a Navegam tem uma tecnologia única que trabalha com as peculiaridades da região ao transportar pessoas, além de remédios e produtos para lugares remotos da floresta”,

enfatiza Lopardo ao demonstrar conhecimento sobre os desafios da região Norte do Brasil.

Digitalização da logística fluvial 

Superar os obstáculos logísticos impostos pelos desafios continentais da região amazônica é uma das principais missões que a Navegam enfrenta todos os dias. A startup genuinamente amazonense foi criada em 2019 e é uma das que mais crescem no Norte do país. O grupo vem ampliando sua participação no mercado local oferecendo soluções tecnológicas para players diversificados, chamando a atenção de investidores.

Atualmente, a Navegam conta com 180 embarcações cadastradas no sistema de transporte fluvial em todos os 62 municípios do Amazonas, além de atender também aos mercados do Pará, Rondônia e Roraima. As embarcações cadastradas contam com serviços de automatização do processo de vendas de passagens fluviais no marketplace da Navegam (www.navegam.com.br).

A startup também opera com a Navegam Log – tecnologia que conecta as empresas a uma rede de entregadores focados na entrega final do produto. E, mais recentemente, a Navegam vem desenvolvendo soluções na área da Bioeconomia que consistem em uma plataforma de soluções e serviços para diagnóstico, monitoramento, distribuição e comercialização de produtos de cadeias produtivas da Amazônia.

Além da eficiência em logística na região Norte, a Navegam adota também práticas de ESG (termo em Inglês para definir um conjunto de padrões e boas práticas que visa definir se uma empresa é socialmente consciente, sustentável e corretamente gerenciada) como é o caso do programa de transformação digital da logística na Amazônia, por meio de capacitações de embarcações e entregadores parceiros, o projeto para viabilizar o transporte de produtos da bioeconomia da região e o mais recente estudo das emissões de carbono nos modais fluvial e terrestre.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Saiba quais são as 9 construções mais antigas da Amazônia

Em cada cidade da Amazônia Legal existe ao menos uma construção que exala a história local a partir da colonização.

Leia também

Publicidade