Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Segunda, 10 Mai 2021

BR-319, o golpe da Veja contra o Amazonas

A revista Veja, no dia 10 de fevereiro, por meio do repórter Eduardo Gonçalves, entrou em contato comigo, informando estar "fazendo uma matéria sobre a BR-319 para a edição desta semana. Podemos conversar rapidamente?". Em seguida, prossegue informando quanto ao interesse em "um ponto de vista histórico sobre o processo de desenvolvimento do Amazonas", e ainda que "Professores de história e de economia que estudam o tema me indicaram o senhor como a melhor fonte para falar sobre isso. Pode ser hoje por telefone? Que horas é melhor para o senhor?". Em seguida, Gonçalves enviou um questionário com seis itens, como segue:

1) Como o senhor vê o debate que acontece há anos sobre desenvolvimentismo versus ambientalismo na Amazônia? Acha que um anula o outro ou não? Como fazer esse equilíbrio?;

2) Como o senhor vê a infraestrutura do Amazonas em comparação com outros estados e até países vizinhos? Construir ou reconstruir rodovias, como a BR-319, seria uma solução básica para enfrentar essa situação de isolamento? Há outras soluções possíveis?";

3) "Além da BR-319, há outras estradas, pontes ou projetos viários abandonados no Amazonas que deveriam receber a atenção do poder público?;

4) Independente dos governos, a Amazônia continua sofrendo com o desmatamento e as queimadas;

5) Na sua opinião, o que o senhor pensa sobre a reconstrução da BR-319, e, finalmente,

6) Com base nos livros que escreveu e na experiência dos cargos que ocupou, gostaria de pedir que o senhor fizesse um panorama histórico da economia no Amazonas, relacionando a infraestrutura da região com as diferentes visões de mundo que imperaram em cada época dos anos 70 até agora. É possível?".

Caminhão passa por trecho sem asfalto na BR-319 — Foto: Arquivo pessoal / G1 Amazonas

Excelente temática, reconheça-se. Assim, elaborei extenso documento técnico a respeito, enviado ao repórter Eduardo Gonçalves. Desgraçadamente, porém, a reportagem da revista resultou num tremendo fiasco, considerando a ênfase política conferida à matéria, essencialmente centrada em críticas contundentes ao governo Federal, fora completamente do foco proposto. Além de um desrespeito ao Amazonas, que, há décadas luta pelo estabelecimento de uma integração rodoviária com o resto do país, o repórter de Veja traiu a confiança de uma fonte que trabalhou alguns dias para lhe enviar, sem qualquer interesse comercial, relatório circunstanciado sobre o drama da BR-319 e as frustrações do amazonense acumuladas há décadas face aos adiamentos sem fim da conclusão de uma obra essencial ao crescimento econômico do Estado.

A rodovia BR-319, informei à Veja, é essencial à integração do Amazonas ao complexo geopolítico e econômico brasileiro. Por que ser contra à sua revitalização, uma estrada existente desde os anos 1970? Ao que penso, por simples e rasteira mania a qual se agarram certos setores do governo, da mídia desinformada e de Ongs radicais, cuja visão de Amazônia restringe-se ao que assistem em eventos promovidos aqui e alhures. Sim, porque a grande maioria desses pretensos "salvadores" da região jamais puseram os pés em nosso solo, mas dão palpites como se soubessem em que bacia hidrográfica se situa o rio Pauini, por exemplo.

O Brasil ora realiza vasto programa de obras do complexo rodoferroviário, essenciais à integração da matriz e logística de transporte de cargas e passageiros, saneamento básico, integração do Rio São Francisco, construção do canal adutor do Sertão Alagoano, integração de bacias hidrográficas, construção, conservação e recuperação de estradas, etc. Quantas destas obras beneficiam exatamente o Amazonas? Fora a BR-319, nenhuma.

Enquanto isso, o gigantesco déficit infraestrutural do Estado alarga-se exponencialmente. Visões distorcidas e mal intencionadas sobre nossa economia, todavia, deverão persistir indefinitivamente no vácuo da ausência de planejamento estratégico e da adoção de políticas públicas realísticas, instrumentos essenciais à promoção do desenvolvimento econômico sustentável, ao fim e ao cabo a única forma de preservação efetiva do bioma amazônico.


*O conteúdo do texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete, necessariamente, a posição do Portal Amazônia.

Veja mais notícias sobre Economia na Amazonia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 10 Mai 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/