Troféu de campeão do Festival Folclórico de Parintins 2024 simboliza amor e orgulho pela cultura regional

Ao todo, 24 troféus foram entregues a vencedor e vice, galeras, Batucada e Marujada, e a todos os itens individuais pela participação.

O amor e orgulho da cultura parintinense serviram de inspiração para o artista Lucijones Cursino criar o troféu que foi entregue para a galeria do campeão do 57⁰ Festival Folclórico de Parintins, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, no município de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus).

Lucijones Cursino afirma que todo artista escolhe primeiro um tema para trabalhar e cita a Embaixadora do Festival de Parintins e cunhã-poranga do boi-bumbá Garantido Isabelle Nogueira para falar de sua inspiração.

“Este ano, o tema que eu escolhi para trabalhar foi justamente o tema que a Isabelle Nogueira defendeu nas mídias, em rede nacional: o amor e o orgulho pela nossa cultura, o amor pelo nosso festival, o orgulho de ser daqui da terra”, declara o artista.

Foto: Divulgação / Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Os troféus principais, dos bois, levam o símbolo de cada boi estilizado, o coração, do Garantido, e a estrela, do Caprichoso, nas suas respectivas cores, o vermelho e o azul, além da cabeça dos bois. “Como a gente está falando em amor e orgulho, então a gente tem que ter orgulho dos nossos símbolos, das nossas cores”, defende o criador das obras.

Além do troféu para o campeão, Lucijones também idealizou e confeccionou troféus para o vice-campeão, para as galeras, para Batucada, para a Marujada e troféus de participação para todos os itens individuais.

“Os troféus dos itens, não são apenas troféus, uma lembrança, eles também são utilizáveis. Se transformam em abajur. Foram feitos do material translúcido com LED, que cada item vai poder utilizar na sua casa como um abajur”, explica o criador. Os troféus dos itens do Caprichoso são uma estrela estilizada, e os dos itens do Garantido são um coração estilizado.

O mural ‘Patrimônio em Festa’, criado pelo artista Pito Silva para a fachada do Bumbódromo, serviu como inspiração para os troféus das galeras.

“Eu apenas materializei aquela criança, aquele torcedor, e coloquei uma faixa de cada boi nas mãos desse torcedor, porque o torcedor é a figura mais importante do festival. É ele que fica dias na fila, enfrentando o sol, chuva, e é ele que sustenta o boi, as apresentações dos bois”, afirma

Nos troféus da Batucada e da Marujada, os símbolos dos bois voltam a ser o elemento principal.

Foto: Divulgação / Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

“Todo marujeiro e todo batuqueiro tem orgulho de defender suas cores e defender o seu símbolo. No Caprichoso, a estrela, no Garantido, o coração. Então, os troféus vêm com o símbolo dos bois, nas cores dos bois e com uma baqueta”, define.

*Com informações da Agência Amazonas

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Theatro da Paz, em Belém, será candidato a Patrimônio da Humanidade

A estrutura e importância do Theatro da Paz serão tópicos essenciais durante evento realizado em agosto. Teatro Amazonas, de Manaus (AM), também será candidato.

Leia também

Publicidade