Segunda edição do ‘Livro da toada’ do Boi-Bumbá Caprichoso é ampliada com inclusão dos anos de 2022 e 2024

A obra contém centenas de canções compostas, cantadas e festejadas desde os primórdios do Festival Folclórico de Parintins.

A segunda edição ampliada da obra ‘O livro da toada: uma antologia Caprichoso‘, publicada por Diego Omar da Silveira, diretor do Centro de Documentação e Memória do Boi-Bumbá Caprichoso (Cedem Caprichoso) e professor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em parceria com o jornalista Roberto Sena, traz inclusões e atualizações sobre os álbuns produzidos pelo Boi-Bumbá Caprichoso entre anos de 2022 e 2024, consolidando-o como grande referência musical no Festival Folclórico de Parintins.

Foto: Divulgação/UEA

O livro reúne uma parte importante da memória do Caprichoso, contendo centenas de canções compostas, cantadas e festejadas durante os últimos 50 anos. Algumas remetem aos primeiros tempos do festival e outras que ajudaram a reinventar o ritmo do boi e marcaram tanto a trajetória de compositores e intérpretes quanto as novas gerações de torcedores apaixonados pelo bumbá azul e branco.

“Hoje, temos em torno de 900 canções registradas nesse livro, que simboliza toda a nossa obra musical. É super importante entregar esse trabalho aos nossos torcedores e pesquisadores que estejam interessados nessa produção musical do Festival de Parintins, em especial, é claro, do Boi-Bumbá Caprichoso”, destacou Diego, um dos autores do livro.

Entrega simbólica

Durante o lançamento do livro foram realizadas entregas simbólicas a figuras importantes da história do Caprichoso. Júlia Portilho, mãe de J. Carlos Portilho, um dos maiores compositores da história do boi azul e branco, recebeu a obra em um momento de grande emoção.

Foto: Divulgação/UEA

J. Carlos, também conhecido como ‘Periquito’, foi responsável por muitas canções do Caprichoso nos anos 80 e 90, época em que ainda realizava as gravações no quintal de sua casa.

 “Durante a pandemia, o Portilho acabou falecendo e, infelizmente, a gente não teve tempo de entregar esse livro a ele. Mas ficamos muito felizes, hoje, de podermos entregar, simbolicamente, pra dona Júlia”, disse Diego.

Cedem Caprichoso

O Centro de Documentação e Memória do Boi-Bumbá Caprichoso (Cedem Caprichoso), realiza um conjunto de ações com o objetivo de preservar e compartilhar a cultura do bumbá que, em 2018, foi reconhecido como patrimônio imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Coordenado por Diego Omar Silveira, em 2023 o Cedem recebeu, pela Editora da UEA, o Prêmio da Associação Brasileira de Editoras Universitárias, por meio de uma história em quadrinhos sobre o Boi-Bumbá Caprichoso com o nome de ‘Caprichoso: uma história em quadrinhos’.

Para o ano de 2025, por meio de financiamento recebido pelo Prêmio Mestre Lucindo de Culturas Populares, o Cedem tem como objetivo produzir uma nova HQ sobre o mesmo tema, além de realizar atividades de entrevistas com brincantes, manutenção do acervo de história oral e de educação patrimonial.

*Com informações da UEA

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Unemat empossa primeira indígena como coordenadora de curso intercultural

A professora Eliane Boroponepá Monzilar, do povo Balatiponé Umutina, foi cedida pela Seduc para coordenar o curso de Licenciatura Intercultural Indígena.

Leia também

Publicidade