Consciência Negra: ouça cinco vozes de cantoras negras da Amazônia

Mulheres do Pará, Amazonas, Rondônia, Amapá e Roraima fazem parte da lista que o Portal Amazônia preparou para homenagear a data. Ouça! 

A Amazônia é formada pela mistura de ritmos e influências musicais notáveis. E para homenagear os artistas que representam a força negra na região neste dia em que celebramos a Consciência Negra, 20 de novembro, o Portal Amazônia indica cantoras que  são símbolos da luta, da resistência e de talento. Confira:  

Foto: Reproduções/Instagram oficial das cantoras

Anna Suav

Anna Suav é uma voz negra, feminina e amazônida que fortalece a cena cultural de Belém, no Pará, desde 2017, demarcando seu lugar no espaço predominante masculino do hip hop, e, ao mesmo tempo, transitando entre o pop e o R&B contemporâneo. Tornou-se uma das grandes potências do ‘rap new school’ da Região Norte. Ouça: 

Jéssica Stephens

Elas nasceu em Boa Vista, Roraima, e se mudou para Manaus (AM) em 2015. Jéssica Stephens é considerada uma das cantoras mais talentosas da Amazônia e faz questão de enfatizar o seu amor pelos dois estados. Ela se diz ‘macuxi’ e ‘manauara’, levando a bandeira de Roraima e do Amazonas em suas apresentações onde une pop e MPB. Ela também é professora de técnicas vocais, participou do The Voice Brasil e lançou este ano o DVD ‘Fruto do Bem Ao Vivo’. Ouça:

Deize Pinheiro

Nascida no Amapá, é cantora, atriz e compositora. Deize Pinheiro possui uma voz marcante no samba e carrega na bagagem músicas autorais com alta qualidade musical. Ouça:

Elisa Maia


A música autoral do Amazonas ganha destaque quando se trata da cantora e compositora Elisa Maia. Nascida em Manaus, estudou piano, flauta e violão, participou de corais e eventos com os pais na igreja desde a infância. O reggae ‘Sol de Setembro’ reflete sobre a solidão da mulher negra, referencia o verão na região e foi toda produzida, inclusive o clipe filmado na casa da cantora, no período da pandemia. Ouça:


Marla Souza

A cantora Marla Souza começou cantando na igreja, já cantou em banda de baile e até pagode, mas faz sucesso com hits de pegada sertaneja, arrocha e forró pelos palcos da capital de Rondônia. Sorriso largo é a marca da cantora, que investiu em seu próprio hit, lançado este ano, feito para quem gosta de dançar e curtir a “sofrência”. Ouça:

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Theatro da Paz, em Belém, será candidato a Patrimônio da Humanidade

A estrutura e importância do Theatro da Paz serão tópicos essenciais durante evento realizado em agosto. Teatro Amazonas, de Manaus (AM), também será candidato.

Leia também

Publicidade