Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade será implantado em Belém

BELÉM – Um local que abriga escola de gastronomia, laboratório de alimentos, barco-cozinha, museu e restaurante. Essa é a proposta do Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade que será implantado ao longo de dois anos no Complexo Feliz Lusitânia, às margens da Baía do Guajará, em Belém.  O Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade na Amazônia foi apresentado na sexta-feira (30), na Expo Milão, feira na Itália que reúne tradição, cultura e inovação de mais de 150 países. Em matéria veiculada pelo “Jornal Nacional”, da Rede Globo de Televisão, a jornalista Ilze Scamparini mostrou as riquezas da culinária paraense e destacou a criação do centro gastronômico como a valorização da cultura paraense. “Belém tem um elemento determinante e fundamental para isso, que é a gastronomia que melhor representa o Brasil, com características bem peculiares e uma variedade ímpar de ingredientes. Esse conjunto de coisas colabora para o sucesso dessa iniciativa, que faz uma articulação entre gastronomia, sustentabilidade e meio ambiente”, disse o governador Simão Jatene..A proposta de criação do centro também faz parte das comemorações dos 400 anos de fundação de Belém, e foi apresentada ao Governo do Pará e à Prefeitura de Belém por um conjunto de organizações da sociedade civil, lideradas pelo Instituto Paulo Martins (entidade que promove e divulga a gastronomia paraense e amazônica e que organiza anualmente o festival Ver-o-Peso), o instituto Atá (presidido pelo chef Alex Atala e principal instituição brasileira que trabalha a relação homem-alimento) e o Centro de Empreendedorismo da Amazônia (fundado em 2015 com o objetivo de estimular negócios sustentáveis e inovação na região).
Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Nova espécie de peixe única no mundo é descoberta na Amazônia peruana

O IIAP, em coordenação com as autoridades peruanas, implementa medidas de controle para garantir sua conservação efetiva.

Leia também

Publicidade