Veja repercussão da cassação do governador José Melo

A cassação de José Melo (PROS) na tarde desta quinta-feira (4) repercutiu em todo o Estado. Autoridades políticas do Amazonas se manifestaram sobre o caso pelas redes sociais, e também através de nota oficiais.  Melo e Henrique Oliveira são acusados de compra de votos nas eleições estaduais de 2014.

Em nota oficial, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, pediu calma da população amazonense e acredita que o Estado vive um momento de democracia. “Nesta  hora de imensa gravidade para a vida institucional do Amazonas, minha palavra é de serenidade. Vivemos sob o império da lei e da democracia. As soluções político-jurídicas serão todas apontadas em normalidade e seguindo os passos civilizatórios muito bem encetados pela nação brasileira”, disse.

Foto: Clarissa Bacellar/Portal Amazônia
Neto continua e afirma que o Amazonas saberá encontrar o caminho certo. “O Amazonas é grande na alma e na sua própria e continuada construção. Saberá agigantar-se, certamente, pelo espírito público que deve orientar os passos dos seus líderes. Suponho sabedoria e desprendimento. Confio que será assim”, escreveu o prefeito.

Mudanças

Já o senador Eduardo Braga (PMDB) usou as redes sociais para se pronunciar. Para Braga, a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi histórica. “Confirmando irregularidades já julgadas e condenadas pela corte regional. Neste momento não me cabe julgar ou emitir qualquer juízo de valor, pois os eméritos ministros do TSE já o fizeram, com isenção, responsabilidade e total senso de justiça”, relatou.

Braga finaliza a nota desejando o melhor para os amazonenses. “Ao Amazonas, o meu desejo, de todo coração, é que esse povo que eu tanto amo reacenda a esperança por melhores dias, reencontre o rumo do desenvolvimento que faça jus à sua grandeza”, disse.

Para o Bem do Estado

O político da oposição, Marcelo Ramos, foi sucinto e disse que essa cassação de Melo terá efeitos que vão muito além de uma nova eleição. “Ela mexe com a estabilidade política e econômica do nosso Estado, com a vida das pessoas que aqui moram. É hora de pensar no Estado, nas instituições, numa transição segura mais do que já pensar em eleição. Vamos aguardar um pouco, com maturidade, sabedoria e colocando os interesses do Amazonas acima de tudo”, contou Ramos, que também foi candidato ao governo do estado em 2014.

Novas eleições

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), também se manifestou por meio de uma rede social. Ela diz que a cassação de Melo é apenas uma constatação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que houve irregularidades nas últimas eleições. “Caso sejam realizadas novas eleições, é fundamental que os eleitores amazonenses escolham entre candidaturas que estejam à altura dos desafios do Amazonas. Sobre essas possíveis candidaturas, a sensatez nos ensina que o momento é de abertura de diálogo com as forças políticas interessadas em construir um projeto político que garanta ao estado o desenvolvimento econômico com bem-estar da população”, relatou.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: qual a função de uma ‘área de preservação permanente’?

As APP são consideradas um instrumento essencial à política de preservação ambiental.

Leia também

Publicidade