Projeto-piloto para combate ao Aedes Aegypti será implantado em Tocantins

A cidade de Porto Nacional, no Tocantins, vai receber um projeto-piloto – uma espécie de armadilha – para combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya. São estações disseminadoras de larvicida, uma estratégia que busca reduzir a população de mosquitos. A implantação é feita pela secretaria de Saúde do estado, em parceria com a Fiocruz de Manaus.

A metodologia é simples. Quem explica é a diretora estadual de vigilância das doenças vetoriais e zoonoses do Tocantins, Mary Ruth Batista Glória.
“O objetivo é que a gente consiga, por meio dos próprios mosquitos que estão visitando esses potes com tecidos impregnados de larvicida, eles disseminem esse larvicida em outros criadouros que não conseguimos identificar e destruir”.

Uma das responsáveis pela pesquisa na Fiocruz Manaus, Elvira Zamora, pede a colaboração dos moradores para o sucesso da nova tecnologia. Segundo Elvira, o projeto já passou por cidades como Manaus e Manacapuru, apresentando bons resultados.

Foto: Divulgação / Governo do Tocantins

Em Porto Nacional, cerca de 90 agentes de endemias e outros profissionais de saúde fazem treinamento esta semana para a instalação das estações.

A cidade foi escolhida porque está localizada às margens do lago formado em decorrência da construção da Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães. Com a formação do reservatório, a cidade começou a apresentar alterações físicas e ecológicas que contribuem para a modificação das populações de espécies vetoriais.

A ação de implantação será concluída nesta sexta-feira (26) com a instalação das disseminadoras nos domicílios.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Camu-camu é usado para enriquecer farinha de mandioca

Pesquisadores brasileiros constataram que a adição de camu-camu à farinha de mandioca amarela é capaz de enriquecê-la nutricionalmente, torná-la...

Leia também

Publicidade