Incêndio no Mato Grosso destrói 15% do Parque Indígena do Xingu

Brigadistas enfrentando o fogo no Parque Indígena do Xingu. Foto: Divulgação/Ibama

Um incêndio provocado pelo tempo quente e seco consome desde o início de agosto o Parque Indígena do Xingu, no Mato Grosso. Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a situação foi controlada nesta quarta-feira (28). Até o momento, o fogo devastou 310 mil hectares, cerca de 15% de toda a área do local, e chegou a se aproximar de uma aldeia Yawalapiti.

“Um dos momentos mais difíceis foi quando o fogo chegou a ameaçar as casas da aldeia Yawalapiti. Os indígenas começaram a retirar seus pertences e alguns voluntários foram ajudar os brigadistas. Por sorte, foi possível conter o fogo. Esse foi o mais próximo que o fogo chegou de aldeias indígenas”, conta o indigenista da coordenação regional do Xingu, André Schilling.

Segundo o chefe do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), Gabriel Zacharias, em razão da estiagem prolongada, o fogo se propagou com muita intensidade em áreas onde normalmente a umidade da vegetação impediria o avanço das chamas. “O Prevfogo reforçou a prevenção aos incêndios, principalmente em florestas nativas, como as do Parque do Xingu, que estão fragilizadas pelos efeitos de uma seca mais intensa neste ano”, disse.

De acordo com Schilling, a situação em 2016 está mais difícil devido às condições climáticas extremas de seca e calor que atingiram a região do Alto Xingu, no limite sul do parque, que tem por predominância vegetação de campo e cerrado. “O parque fica numa área de transição entre o bioma amazônico e o cerrado, o clima seco e prolongado deste ano deixou a região vulnerável a queimadas”, avalia.

O Prevfogo conta com a participação de 105 pessoas, incluindo 25 indígenas do Xingu e 10 da Terra Indígena Xerente, do Tocantins, além de brigadistas de Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Rondônia e Rio de Janeiro. Há três anos o Prevfogo promove uma capacitação dentro dos limites do parque para formação de brigadista indígenas.

Parque

O Parque Indígena do Xingu (PIX) foi criado em 1951 e tem 2.642.003 hectares. A área está na região nordeste do Mato Grosso, na porção sul da Amazônia Legal. O local abriga 16 povos indígenas diferentes.
Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Manaus receberá Painel do “Amazônia que Eu Quero” no Auditório do SEBRAE/AM

Nesta quarta-feira (12), o painel do programa "Amazônia que Eu Quero" que tem como tema a "Bioeconomia: soluções inovadoras...

Leia também

Publicidade