Em Belém, refugiados venezuelanos se casam em cerimônia comunitária

O Espaço de Acolhimento da etnia Warao se tornou um local de demonstração de amor.

Na última semana, o Espaço Municipal de Acolhimento para refugiados venezuelanos da etnia Warao, localizado no bairro da Tapanã, em Belém, se tornou um local de demonstração de amor e matrimônio para quatro casais que vivem no espaço. Por meio da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), a prefeitura realizou um casamento comunitário no local.

A cerimônia foi um pedido dos indígenas que adotaram o Cristianismo como doutrina. (Foto:Alessandra Serrão/Agência Belém)

A cerimônia foi um pedido dos indígenas que adotaram o Cristianismo como doutrina religiosa. O evento também contou com o apoio da Paróquia de São Francisco de Assis, que realizou gratuitamente os procedimentos necessários para o casamento. Para a Funpapa, a cerimônia marca o fortalecimento de vínculos familiares e de convivência, garantindo um momento único e importante para pessoas que estão longe do território de origem, mas que não desistiram de realizar seus sonhos.

A cerimônia foi completa, “como manda o figurino”, com a entrada dos padrinhos, dos noivos, das crianças com as alianças, um belo tapete vermelho, bolo e registro fotográfico. Além disso, o buffet foi de acordo com a cultura dos noivos. Um dos pratos principais foi a Arepa de Milho, um preparo feito com trigo, frango, legumes, suco de uva e outros ingredientes.

Cada detalhe da festa ficou marcado na memória dos indígenas. (Foto:Alessandra Serrão/Agência Belém)

Realização

Cada detalhe da festa ficou marcado na memória dos indígenas. Para os noivos, o momento é de gratidão e realização. “Esse momento é muito importante para mim e para meu povo, pois é a primeira vez que Waraos estão se casando aqui e com o apoio da prefeitura. Esse apoio é muito importante, eu estou muito agradecida, não tenho palavras para expressar minha gratidão”, disse Maria Perez, de 30 anos, uma das noivas.

A cerimônia foi completa com a entrada dos padrinhos e das crianças com as alianças. (Foto: Alessandra Serrão/Agência Belém)

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Lei determina governo de Rondônia ‘priorizar’ café robusta para consumo na administração pública

Lei publicada em junho já está em vigor. Em caso de descumprimento à norma, decisão deve ser fundamentada, aponta Seagri.

Leia também

Publicidade