Manaus 30º • Nublado
Sábado, 21 Mai 2022

Conheça a diferença entre as cobras coral-verdadeira e falsa-coral

Verdadeira-vs-falsa

Quando observamos cobras, seja por foto ou até mesmo pessoalmente, a primeira dúvida que vem à cabeça é se ela é venenosa (possui peçonha) ou não. No senso comum, tende-se a achar que quanto mais vibrante e colorida for a cor de uma cobra, mais venenosa ela é. Em geral, esse pensamento pode ser considerado correto, porém existe uma espécie que utiliza desse mecanismo para confundir predadores e garantir sua sobrevivência.

Leia também: Existe cobra cor de rosa? Saiba o que representam as cores das cobras

É o que acontece entre a coral-verdadeira (Micrurus lemniscatus) e a falsa-coral (Erythrolamprus aesculapii). Ambas são comuns no território brasileiro, inclusive na Amazônia, e extremamente parecidas fisicamente.

Por isso, o Portal Amazônia buscou ajuda para explica a diferença entre ambas. Confira:

Coral-verdadeira

Conhecidas por injetar um veneno extremamente forte, as cobras-corais-verdadeiras, possuem a coloração em tons de vermelho, laranja, amarelo e branco. Descrita em 1758, a espécie pode ser encontrada em todo o continente americano, com exceção do Chile e Canadá, e podem se adaptar em diferentes biomas, a exemplo do bioma amazônico.

Seu veneno possui atividades neurotóxicas e pode matar em algumas horas, bloqueando o sistema neuromuscular e causando insuficiência respiratória, além de deixar a visão turva, dificultar a deglutição e provocar vômitos. 

A espécie possui hábitos aquáticos e se alimenta de peixes e de vertebrados alongados, como outras cobras e lagartos.

Veneno de coral-verdadeira pode matar um humano em algumas horas. Foto: Renato Gaiga

Em relação à inoculação do veneno, o biólogo e ecologista Igor Yuri Fernandes relata que está associado ao tipo de dentição da mesma:

"As cobras-corais-verdadeiras pertencem à família Elapidae, que é a mesma família das najas e de algumas cobras marinhas. Elas tem um tipo de dentição que a gente chama de proteróglifa, ou seja dentes que parecem uma agulha hipodérmica e eles conseguem inocular o veneno. São na parte frontal da boca e são bem pequenos",

explica Igor Fernandes.

Falsas-corais são peçonhentas, afinal?

Dentre as mais de 52 espécies de cobras consideradas não peçonhentas no Brasil, estão as falsas-corais. Elas apresentam o mesmo padrão de cor das corais verdadeiras, com algumas exceções, e podem achatar o corpo e enrodilhar a cauda, o que também é feita pelas corais.

Encontrada em grande parte do território brasileiro, inclusive na Amazônia, alguns pesquisadores afirmam que a falsa-coral possui uma glândula de veneno, apesar de serem consideradas não peçonhentas. Contudo, por essa glândula estar na parte de trás da boca, muitas vezes o veneno não é inoculado em uma picada e não causam tantos problemas quanto a picada de uma coral verdadeira. 

"As falsas-corais têm uma glândula que não é propriamente de veneno, alguns autores classificam como glândula de veneno, outros não, que é a glândula de duvernoy. Ela produz o veneno mas se localiza na parte posterior da boca. Na hora que as falsas corais que possuem esse tipo de dentição mordem, a mordida pode ser superficial, só com os dentes da frente e ela acaba não inoculando esse veneno",

esclarece Igor.
Algumas falsas corais produzem veneno na parte posterior da boca. Foto: Renato Gaiga

Em resumo, a proximidade na aparência das duas não é por acaso. Com o intuito de confundir possíveis predadores com a ideia de ser mais perigosa, a falsa coral chega a imitar a verdadeira, o que ajuda na sua sobrevivência na selva.

Acidentes com cobras

Em casos de mordidas por ambas espécies, o recomendado é se dirigir rapidamente ao hospital ou postos de atendimento. No caso da coral-verdadeira, o estado de saúde deve ser considerado grave. Já com a falsa-coral,  a pessoa deve tomar  uma dose do soro específico proporcional à gravidade do acidente.

Veja mais notícias sobre Amazônia.

Veja também:

 

Comentários: 1

Pablo em Segunda, 16 Mai 2022 11:53

Incrivel, conseguiram escrever uma matéria inteira para falar das diferenças entre a falsa e a verdadeira sem citar UMA diferença que permita uma pessoa comum identificar qual é qual.
A verdadeira tem "dentição que a gente chama de proteróglifa" e a falsa "têm uma glândula que não é propriamente de veneno, que é a glândula de duvernoy."

Parabéns!

Incrivel, conseguiram escrever uma matéria inteira para falar das diferenças entre a falsa e a verdadeira sem citar UMA diferença que permita uma pessoa comum identificar qual é qual. A verdadeira tem "dentição que a gente chama de proteróglifa" e a falsa "têm uma glândula que não é propriamente de veneno, que é a glândula de duvernoy." Parabéns!
Visitante
Sábado, 21 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/