Manaus 30º • Nublado
Sexta, 03 Dezembro 2021

Saiba mais sobre o maior sapo da Amazônia: o cururu

Saiba mais sobre o maior sapo da Amazônia: o cururu

Sapo-cururu ( Rhinella marina ) é o nome popular atribuído aos anfíbios da família Bufonidae. A característica principal nesses animais é a pele grossa e rica em glândulas. As patas são curtas, o corpo é largo, e seus hábitos são mais terrestres que outros anfíbios. As fêmeas são, em geral, maiores.

Por serem animais de grande porte (em relação à outros anfíbios) sua alimentação pode ser composta de pequenos vertebrados (aves e mamíferos), invertebrados (besouros, formigas, minhocas e centopeias) e até de vegetais, sendo uma das poucas espécies onívoras de sapos.

A simpatia a esses animais não costuma ser comum. Os três motivos são, obviamente, pelo seu aspecto não atraente, serem associados a maus presságios (sinal de algo que está para acontecer) e o medo de ser atingido por seus venenos. Tais fatos refletem a falta de conhecimento que a população, em geral, têm acerca dos cururus.

Foto: Divulgação

Agora, respondendo a dúvida de muitos: o cururu pode lançar veneno? 

A grande maioria dos sapos possui venenos em glândulas presentes em sua pele. No sapo-cururu, é possível observar claramente duas glândulas de veneno chamadas de paratóides que estão localizadas logo atrás dos olhos do animal. 

A maioria dos jatos de veneno são involuntários. Essas glândulas geralmente não lançam veneno apenas com uma aproximação do ser humano, mas só é liberada quando a glândula é pressionada, portanto, trata-se de uma defesa passiva. Quando o sapo é agredido, por outro animal ou por uma pessoa, por exemplo, as glândulas liberam o veneno no agressor. 

Geralmente o veneno possui toxinas muito intensas que podem causar consequências graves, como cegueira, vômitos, dores abdominais, convulsões e até mesmo a morte. Logo, a resposta é não. O sapo-cururu não lança veneno.

Exceção da regra 

No entanto, apesar de a maioria dos sapos não apresentar o comportamento agressivo de lançar veneno, existe uma espécie de sapo-cururu chamada Rhaebo guttatus, que possui exclusivamente esse hábito incomum. Essa espécie é capaz de expelir o veneno sem a compressão de sua glândula. O jato é tão poderoso que seu veneno atinge uma distância de quase dois metros.

É importante frisar que não são apenas os sapos que possuem venenos, as rãs e pererecas também produzem importantes compostos tóxicos. Muitas pessoas, com medo, acabam jogando sal em sua pele. Esse processo afeta a respiração desse animal, podendo levá-lo à morte. Apesar de sua aparência não ser atraente, esses animais são essenciais para o ecossistema, pois controlam as pragas. Sendo assim, não mate esses anfíbios, pois eles são extremamente importantes. 

Veja mais notícias sobre Amazônia.

Veja também:

 

Comentários: 1

Rosana Bárbara Trierveiler em Sexta, 26 Novembro 2021 13:59

Adoro sapos, claro q mantenho distância adequada deles. Moro no oeste de Santa Catarina, em Chapecó, moro há quase 4 anos aqui. E me chama atenção q nesses tempo todo, só avistei 5 sapos.... Onde eu morava anteriormente, Lages SC na serra catarinense, era comum ver sapos pelas ruas nós dias de chuva. Isso independe de ser na área urbana ou rural ....

Adoro sapos, claro q mantenho distância adequada deles. Moro no oeste de Santa Catarina, em Chapecó, moro há quase 4 anos aqui. E me chama atenção q nesses tempo todo, só avistei 5 sapos.... Onde eu morava anteriormente, Lages SC na serra catarinense, era comum ver sapos pelas ruas nós dias de chuva. Isso independe de ser na área urbana ou rural ....
Visitante
Sexta, 03 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/