Crajiru: para que serve e quais os benefícios dessa planta

Com propriedades benéficas e efeitos comprovados científicos, o crajiru é utilizado para tratar diversas doenças

É fato que muitas plantas da região amazônica são utilizadas para fins medicinais. Esse costume, em sua maioria surgiu dos povos indígenas e comunidades ribeirinhas para tratar doenças de forma natural, até porque chegar até um posto de saúde e conseguir remédios adequados nem sempre é acessível para todos.

No decorrer dos anos, muitos pesquisadores começaram a analisar as propriedades presentes nessa variedade de remédios naturais, com o intuito de verificar se realmente são eficazes. Esse estudo é conhecido por Fitoterapia, que seria o estudo de plantas e suas aplicações.

Uma planta bastante conhecida e usada que passou a ser estudada é o Crajiru (Arrabidaea chica). Muito comum na Floresta Amazônica e na Mata Atlântica, o crajiru pode ser encontrado em todo o território brasileiro. 

Foto: Reprodução/Sylvio R. Pereira

Cientificamente comprovado, o crajiru atua contra a pressão alta. O estudo foi realizado pela Fiocruz.

 De acordo com a pesquisa, as artérias ficam mais relaxadas por causa do uso da erva e com isso o sangue passa com mais facilidade nas veias, atuando como um vaso-relaxante.

Além de ajudar na pressão arterial, o crajiru possui propriedades anti-inflamatórias, anti-hipertensiva, antimicrobiana, anti-anêmica, diurética e antioxidante, auxiliando no tratamento dos seguintes problemas:

  • Dores intestinais;
  • Diarreia e diarreia com sangue;
  • Hemorragia;
  • Anemia;
  • Icterícia;
  • Corrimento vaginal;
  • Feridas na pele;
  • Inflamações ginecológicas;
  • Conjuntivite.

Como ingerir o Crajiru:

A forma de usar o pariri vai depender, se ele for um extrato alcoólico você deverá seguir as recomendações do fabricante, que normalmente pede para ser ingerida 20 gotas de pariri na água 3 vezes ao dia. Caso resolva fazer o chá, basta levar água para ferver e depois acrescentar as folhas do pariri e deixar por aproximadamente 10 minutos.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Pesquisa realizada no Amazonas reduz contaminação e aumenta agentes de defesa da banana

Os testes constataram que o ozônio aumentou o tempo de prateleira das bananas de 7 para 14 dias, em temperatura ambiente, dois dias a mais do tempo superior ao fungicida comercial.

Leia também

Publicidade