Conheça a onça-parda, o segundo maior felino do Brasil

Embora a onça-parda seja considerada um grande felino, ela está filogeneticamente e evolutivamente mais relacionada a uma espécie de pequeno felino. E você sabia que elas nadam bem?

A onça-parda (Puma concolor) é o segundo maior felino do Brasil. Este animal ocorre em uma ampla variedade de hábitats e atualmente tem sido cada vez mais frequentes os relatos de aproximação deste animal com o ser humano. 

Ocorrências como o aparecimento em áreas urbanas tem sido relatadas, mas um vídeo ganhou a internet nos últimos dias. O caso é de uma onça-parda atravessando rio. Para aqueles que não sabem, a espécie é uma exímia nadadora. 

O engenheiro Marcos Müzel Kalomenconkovas foi quem flagrou de perto os dotes aquáticos da onça-parda. Seu vídeo mostra a onça atravessando o Rio Urubu, nas proximidades de Silves, interior do Amazonas. Confira:

Quem afirmou que esses animais são ótimos nadadores foi o coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais e Ambientais da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Rogério Fonseca, especialista em onças. “Toda onça sabe nadar. Faz parte do instinto delas. Por se tratarem de felinos, as pessoas acham que eles não gostam de água, porém as onças são ágeis dentro dos rios”, destacou.

Ainda segundo o biológo, diferente da onça-pintada que rugi, a onça-parda tem uma vocalização parecida com a dos gatos domésticos. “Ele mia igual a um gato doméstico, mas continua sendo um animal selvagem”, avisou.

Onça-parda. Foto: Reprodução/Rogério Cunha

Características

Embora a onça-parda seja considerada um grande felino, ela está filogeneticamente e evolutivamente mais relacionada a uma espécie de pequeno felino, o jaguarundi (Puma yagouaroundi). Quando adultos o comprimento total varia de 1,5 e 2,75 m e o peso de 22 a 70 kg. O tamanho dos indivíduos varia em relação à latitude, há uma tendência a menores tamanhos corporais na medida em que as populações se aproximam do equador e maiores na medida em que se aproximam dos polos. A coloração do pelo pode variar de marrom-acinzentada claro a marrom-avermelhado escuro, com manchas mais claras na parte de baixo do corpo.

Além do tamanho, este animal chama atenção por sua agilidade. Suas patas posteriores, proporcionalmente as maiores entre os felinos, permitem ao animal realizar grandes saltos, tanto em distância quanto em altura, e atingir grandes velocidades em distâncias curtas, além de escalar com exímia destreza e, também, eventualmente, deslocar-se com facilidade na copa das árvores.

É um animal solitário, porém na época reprodutiva casais podem ser vistos. Também podem ser observados com outros da espécie quando são encontrados irmãos jovens em período pré-dispersão ou mãe com filhotes jovens. Nestes casos podem ser observadas três ou quatro onças juntas. 

A alimentação é composta por uma grande diversidade de animais, incluindo desde presas grandes, como veados, até presas de pequeno porte, como roedores e até mesmo invertebrados. No Brasil a dieta é composta quase que exclusivamente de animais de pequeno a médio porte. Atribui-se isto à competição com a onça-pintada.

E aí? Já viu uma onça-parda?

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

A realidade da Reserva Legal na Amazônia e o Projeto de Lei 3334/2023

As Reservas Legais, juntamente com as APPs, desempenham um papel essencial nesse contexto, protegendo a vegetação nativa e garantindo acesso aos benefícios proporcionados pelos ecossistemas.

Leia também

Publicidade