Manaus 30º • Nublado
Quinta, 01 Dezembro 2022

Leitura em formato virtual na pandemia: Experiência de inclusão social

A educação é essencial para o desenvolvimento integral do aluno, preparando-o para o exercício da cidadania e engajamento social. Estamos no ano de comemoração do Centenário do educador Paulo Freire e muitas experiências exitosas atreladas à sua contribuição teórica estão sendo divulgadas em diversos eventos no país.

Em Rondônia, um dos projetos que evidenciam a contribuição de Paulo Freire é o Leitura em Formato Virtual - O Livro na Casa do Aluno, o qual é desenvolvido com os alunos do 1º ao 5º ano da Escola Municipal José Augusto da Silva, localizada no Distrito de Extrema pertencente ao Município de Porto Velho.

O objetivo do projeto é o de contribuir com a formação de alunos leitores, críticos, conscientes e participativos na sociedade. Trata-se de desenvolver habilidades na leitura e interpretação de diversas obras literárias, respeitando a faixa etária dos alunos residentes na área rural. 

Foto 01: Escola José Augusto da Silva. Fonte: Acervo da escola

A leitura nesse momento de pandemia da Covid-19 ajuda a trabalhar as emoções positivas dos alunos, contribui para a desenvoltura oral e escrita, reforçando o papel da escola na construção da cidadania.

O Livro na Casa do Aluno colabora para esta aprendizagem significativa, lúdica, interessante e que desperta muito mais interesse no aprendizado, fazendo com que o aluno tenha melhor rendimento na escola.

O projeto Leitura em Formato Virtual surgiu da iniciativa dos educadores da Escola José Augusto da Silva e por conta da pandemia sofreu uma nova reorganização, sendo desenvolvido pelo professor Sebastião Rodrigues da Silva que pensou nesse atendimento direto aos alunos em sua casa, considerando a situação de isolamento social devido ao Coronavírus.

De acordo com o Professor Especialista Reinaldo Carneiro de Morais: "Os alunos do 1º ao 5º Ano estão sendo beneficiados com a leitura e com a pandemia o projeto ganhou uma nova roupagem, sendo o diferencial a leitura na casa do aluno".

Sem dúvida, o projeto desenvolvido pela escola nesse contexto da pandemia tem fortalecido à aprendizagem e na prática os alunos têm a oportunidade de exercitar à produção de texto de forma lúdica, prazerosa e significativa.

Por exemplo, toda semana o professor escolhe um livro e organiza uma atividade contendo cinco perguntas relacionadas ao conteúdo do livro para o aluno desenvolver em sua casa. O livro costuma ser enviado por meio das mídias digitais e/ou entregue de maneira impressa na residência dos alunos. 

Foto 02: Alunos no contexto da pandemia. Fonte: Acervo da escola.

Esta ação inclusiva lúdica e semanal oportuniza a criação dessa prática de leitura, permeada pelo compromisso de cada aluno em responder às atividades, tendo o incentivo do professor e o acompanhamento dos pais.

Foto 03: Escola José Augusto da Silva. Fonte: Acervo da escola.

E ao longo das aulas remotas, o professor pede ao aluno para ler uma passagem do livro que mais lhe chamou atenção e envia por meio do áudio as respostas das cinco perguntas para que sejam compartilhadas com os demais colegas, sendo um momento de observação da pronúncia, ritmo e compreensão do que o aluno de fato entendeu.

Os alunos que alcançam os melhores desempenhos nessas produções escritas e orais recebem medalhas e certificados como forma de incentivo e reconhecimento pela participação nas aulas remotas. E com isso, evita-se a evasão escolar e reforça o papel da escola na superação desse tempo difícil da pandemia da Covid-19.

Foto 04: Aluno premiado pelo Projeto. Fonte: Acervo da escola.

A aceitação do projeto foi de imediata, sendo bastante exitosa para reforço da aprendizagem, da leitura que até então era vista como "bicho de sete cabeças". Aprender a ler é compreender o mundo e suas diversas dinâmicas espaciais, sendo uma relação prazerosa, lúdica e dinâmica.

Sem dúvida, esse tipo de projeto colabora muito para o incentivo, motiva o aluno na busca pela leitura e melhora a aprendizagem no âmbito das escolas do campo em Porto Velho e na Amazônia.

Os resultados do projeto são muito significativos, pois oportunizam aos alunos o gosto pela leitura, a prática da leitura, o acesso aos livros literários e o desenvolvimento de habilidades essenciais na vida.

Vida longa ao Projeto O Livro na Casa do Aluno, parabéns aos alunos e aos educadores pela iniciativa. Que essa experiência possa ser multiplicada no fortalecimento da cidadania e na formação de novos leitores nos Distritos de Porto Velho.

Que esta experiência de Olhar Amazônia com pertencimento e justiça social possa ser multiplicada para a definição de campos possíveis de ação nas políticas públicas destinadas às populações ribeirinhas. Continue nos acompanhando e envie suas sugestões no e-mail:


Lucileyde Feitosa

Professora, Pós-Doutoranda em Comunicação e Sociedade (Universidade do Minho/Portugal), Doutora em Geografia/UFPR, Integrante do Movimento Jornalismo e Ciência na Amazônia e colunista da Rádio CBN Amazônia/Porto Velho.

Veja mais notícias sobre Amazônia Ribeirinha.

Veja também:

 

Comentários: 1

José Pereira dos Santos em Sábado, 30 Outubro 2021 00:40

Quero parabenizar o especialista em educação da Escola José Augusto da Silva, Reinaldo Carneiro, pela divulgação deste importante projeto numa excelente abordagem recentemente apresentada a um público muito especial.

Quero parabenizar o especialista em educação da Escola José Augusto da Silva, Reinaldo Carneiro, pela divulgação deste importante projeto numa excelente abordagem recentemente apresentada a um público muito especial.
Visitante
Quinta, 01 Dezembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/