Ecopacaya 4.0: aplicativo de realidade aumentada ajuda a desbravar floresta peruana

O guia virtual foi idealizado para promover circuitos turísticos na Reserva Nacional Pacaya Samiria, área natural protegida na região de Loreto.

Foto: Reprodução/Agência Andina

Uma nova forma de turismo está sendo desenvolvida no Peru com a criação da Ecopacaya 4.0. O guia virtual de realidade aumentada foi idealizado para promover circuitos turísticos na Reserva Nacional Pacaya Samiria, área natural protegida na região de Loreto.

Ecopacaya 4.0 nasceu como uma ideia em 2020 e foi desenvolvido pela empresa Negocios Turísticos Marañón para seu centro turístico Pacaya Samiria Amazon Lodge, em aliança com a Pontifícia Universidade Católica do Peru (PUCP). 

Após quatro anos e, graças ao financiamento do programa ProInnóvate do Ministério da Produção peruano, através do concurso ‘Inovação Empresarial’, o Ecopacaya 4.0 já está disponível nas lojas de aplicativos Play Store e App Store para ser utilizado pelos visitantes desta reserva natural.

O coordenador do projeto, Adolfo Arana, destaca que esta plataforma é a primeira a ser implementada em um ambiente remoto como a Reserva Nacional Pacaya Samiria.

“Estávamos interessados em desenvolver algo que fosse único na América Latina e único no setor turístico peruano. É um ponto de atração que nos permitirá entrar nos mercados internacionais”, 

afirma Arana, representante da empresa Negocios Turísticos Marañón.

O desenvolvimento e validação desta ferramenta tecnológica recebeu cofinanciamento do ProInnóvate, através do concurso Business Innovation. Foto: Reprodução/Agência Andina

Do que se trata esta plataforma?

Ecopacaya 4.0 mescla a realidade física da reserva com guias, personagens e sinalização virtuais. Da mesma forma, o aplicativo funciona apenas quando o visitante está fisicamente no local, com celulares que possuam sistema de geolocalização.

Para garantir a conectividade, tão pouco acessível em áreas de selva, a empresa Negocios Turísticos Marañón teve como aliado tecnológico o Grupo PUCP de Telecomunicações Rurais, que se encarregou de viabilizar o acesso à Internet através da implantação de antenas na área.

“Com eles garantimos que as pessoas que fazem os passeios possam compartilhar essa experiência em suas redes sociais ao mesmo tempo, algo difícil de conseguir em um lugar remoto como a nossa selva. Pela primeira vez, uma pessoa que entra na selva com seu dispositivo móvel pode registrar e compartilhar sua experiência sem perder um momento”, explica.

Foto: Reprodução/Agência Andina

Como funciona o Ecopacaya 4.0? 

É recomendado que os visitantes baixem o aplicativo antes de chegar à reserva natural para percorrer facilmente os cinco circuitos inteligentes denominados ‘Ecotrilhas’. A aplicação turística de realidade aumentada permitirá o reconhecimento automático da localização dos visitantes e guiá-los-até ao ponto de partida de cada uma das cinco ‘Ecotrilhas’.

A primeira é a ‘Ecotrilha etnobotânica’, na qual é possível conhecer dez espécies emblemáticas da Amazônia peruana, incluindo várias conhecidas como aguaje, sangre de grado, etc. O segundo é voltado para a fauna e é um passeio por seis pontos que são habitat de diversas espécies amazônicas. A terceira e a quarta são focadas na mitologia e na visão de mundo amazônicas, respectivamente. Por fim, os pequenos poderão se divertir com o jogo interativo ‘Resgate da Princesa Amana’ – muito parecido com Pokémon Go – onde os visitantes recebem pistas de seis personagens para libertar a princesa da etnia Kukama.

“A dinâmica é que o visitante tenha a possibilidade de acessar um menu onde estão os diferentes circuitos que oferecemos e se escolher o etnobotânico, por exemplo, uma vez iniciado o passeio, o sistema detectará a presença do visitante próximo a uma das espécies que compõem o percurso e, com o histórico físico da espécie, aparecerá um guia virtual sobreposto na tela do celular ou tablet que narrará as características e funcionalidades do que você está vendo”, 

diz o coordenador da Ecopacaya 4.0.

A plataforma complementa de forma eficiente o trabalho do guia físico, proporcionando aos visitantes uma melhor experiência, sem que a tecnologia seja invasiva. ‘Amana’ é o guia virtual que informará os visitantes sobre os atrativos turísticos desta reserva natural.

Financiamento 

A iniciativa foi financiada pela ProInnóvate num valor total de 700 mil soles (pouco mais de 850 mil reais) e passou por duas fases: a primeira fase, que incluiu a prototipagem e o lançamento da primeira versão para Android em meados de 2021. Na segunda fase, em 2022 , a próxima versão de toda a plataforma foi criada e disponibilizada aos usuários Apple.

Desde maio de 2023, o Ecopacaya 4.0 está à disposição dos visitantes da Reserva Nacional Pacaya Samiria. Até o momento, 75% dos visitantes da reserva natural utilizaram a plataforma.

“Também temos outra versão chamada Pacaya Samiria Demo que pode ser baixada na Play Store e é aberta ao público. O download leva 30 segundos e você executa imediatamente. Amana começa a explicar o projeto e como a experiência é enriquecedora”, indica.

Por último, o empresário Adolfo Arana apela a que mais instituições, empresas e organizações apoiem estas iniciativas, tendo em conta que a tecnologia pode proporcionar uma experiência que valoriza a riqueza natural da região. Com esta aliança governo-universidade-empresas, a Ecopacaya 4.0 torna-se uma das primeiras plataformas que integra biodiversidade (conhecimento) e tecnologia (realidade aumentada) a nível internacional.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Saiba quais são as 9 construções mais antigas da Amazônia

Em cada cidade da Amazônia Legal existe ao menos uma construção que exala a história local a partir da colonização.

Leia também

Publicidade