Conheça o Inti Raymi, a festa inca que celebra o sol

O festival é um dos eventos mais importantes do calendário inca, no Peru, e acontece no solstício de inverno.

O mês de junho é marcado por festas juninas no Brasil, mas também pelo Inti Raymi, no Peru. O Inti Raymi é um evento de cunho religioso em homenagem ao deus-sol inca. A Festa do Sol é celebrada no solstício de inverno, que geralmente cai no dia 24 de junho no hemisfério sul. ‘Inti’ significa sol e ‘Raymi’ significa festival ou celebração, em Quechua, o idioma do Império Inca. 

Foto: Percy Hurtado Santillan/Agência Andina

Durante o Império Inca, o Inti Raymi foi realizado na cidade de Cusco, que era a capital do império. A cerimônia envolvia rituais elaborados, música, dança e oferendas para homenagear o Deus sol, considerado o ancestral do povo inca e o provedor da vida e da abundância. O festival era liderado pelo imperador, que desempenhava um papel central nos rituais.

O festival era considerado uma forma do povo inca agradecer ao sol por seu calor e luz, essenciais para suas atividades agrícolas, e também uma oportunidade para renovar seus compromissos com os deuses e fortalecer seus laços sociais como comunidade.

Atualmente, o festival continua sendo celebrado em Cusco e atrai milhares de turistas de todo o mundo. A versão moderna do festival é uma reconstituição da antiga cerimônia e inclui trajes coloridos, procissões, música e danças tradicionais. É um evento cultural significativo que mostra a herança e tradições incas.

Veja alguns registros do festival:

Espetáculo ao ar livre

O Inti Raymi que ocorre atualmente é uma grande performance teatral que envolve mais de 800 pessoas no elenco, devidamente caracterizadas com as vestimentas típicas dos Incas.

A celebração é dividida em três atos. O primeiro ato apresenta uma oferenda ao deus-sol por meio de danças e cantos na esplanada do Qorikancha (também conhecido como Templo do Sol), que fica localizado na Avenida El Sol, a principal avenida da cidade de Cusco.
Em seguida, no segundo ato, a encenação se dirige para a Praça de Armas, para reverências e agradecimentos, onde o Imperador Inca desfila entre os presentes.

Por fim, o terceiro ato, na esplanada de Sacsayhuamán, considerado o mais importante, consiste em orações na língua quéchua que demonstram respeito e admiração ao deus-sol. Neste momento também há a simulação de um sacrifício animal com uma lhama, momento no qual um xamã faz previsões para o ano que se inicia, conforme a tradição Inca. 

E aí? Conhecia o festival? Sabe mais detalhes? Conta pra gente! 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Borboleta amazônica híbrida: pesquisa comprova nova espécie

As análises genéticas e ecológicas indicam que os primeiros cruzamentos entre as duas espécies de borboletas que originaram a nova ocorreram há cerca de 180 mil anos.

Leia também

Publicidade