Manaus 30º • Nublado
Segunda, 29 Novembro 2021

Festa da Chiquita

Inicialmente, a festa era chamada de Filhas da Chiquita ou Festa da Maria Chiquita. O nome veio da famosa personagem das marchinhas de carnaval, Chiquita Bacana, "mulher existencialista que só faz o que manda o coração". A festa, mesmo exaltando o lado profano, também tem caráter de homenagem à Virgem de Nazaré.

A "Chiquita" não é reconhecida pela igreja católica como parte integrante da festividade do Círio de Nazaré, porém a festa já é tombada pelo Iphan, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, e pela Unesco, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

O evento cultural ocorre na Praça da República, logo após a passagem dos peregrinos que seguem a imagem de Nossa Senhora de Nazaré na procissão da Trasladação, a segunda maior das romarias oficiais do Círio.

Patrimônio Cultural

A Lei N° 9.025, de 17 de março de 2020, declarou como patrimônio cultural de natureza imaterial do Estado do Pará, a Festa da Chiquita. A Festa da Chiquita foi idealizada e criada pelo sociólogo carioca, Luís Bandeira, na década de 70. A partir de 1990, a festa passou a ser coordenada pelo artista Elói Iglesias, que propôs uma mudança na dinâmica do movimento, tornando-o uma festividade voltada para um público mais alternativo. 

Veja mais notícias sobre Amazônia de A à ZF.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 30 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/