Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Terça, 29 Setembro 2020

De peixes a primatas, conheçam alguns dos papais mais dedicados da fauna amazônica

Foto_5_Jessica_dos_Anjos_Plecturocebus-moloc_20200809-171400_1

Engana-se quem pensa que cuidar dos filhotes é papel somente da mãe. O cuidado parental, quando existe nas espécies, pode ser dividido entre os pais, ser feito somente pela mãe ou pelo pai, e até ser de responsabilidade de todo o grupo, por exemplo. E para homenagear os papais, vamos mostrar algumas espécies em que os machos são os principais responsáveis pelo cuidado com os filhotes, podendo inclusive adotar estratégias impressionantes para garantir a sobrevivência dos rebentos.

Aruanãs

O peixe aruanã, como da espécie Osteoglossum bicirrhosum, são bastante conhecidos na nossa região, sendo utilizados para duas atividades econômicas diferentes, a pesca para o mercado de peixes comestíveis e a pesca para o mercado de peixes ornamentais. Esses animais são excelentes pais e apresentam um curioso comportamento para garantir que os filhotes estejam seguros.

No período reprodutivo, macho e fêmea constroem seu ninho no fundo do lago ou igarapé, onde a fêmea desova e o macho faz a fecundação dos ovos. Após isso, o macho carrega os filhotes na boca (isso mesmo, dentro da boca!), enquanto os filhotes absorvem o saco vitelínico e terminam o desenvolvimento de seus tratos digestivos.

Nesse período, o macho pode ficar sem se alimentar e, constantemente vai à superfície para captar oxigênio para os ovos. Quando os filhotes já conseguem nadar mais livremente, eles saem da boca do macho para explorar o mundo, mas sempre ali perto do pai, e no menor sinal de perigo, retornam para à boca do pai. Os pais aruanãs carregam seus filhotes por até seis semanas dentro da boca e podem carregar até, pasmem, 140 filhotes!

Foto: Enrico Richter

Sapos-ponta-de-flecha

Os sapinhos da família Dendrobatidae, como a espécie Ameerega trivittata, geralmente de hábito diurno e terrestre, são responsáveis pelo cuidado dos ovos até o transporte dos girinos para locais seguros. Os ovos são depositados pelas fêmeas em folhas caídas no chão da floresta e a partir daí o cuidado é praticamente todo do pai. Eles protegem os ovos de predadores e do ressecamento.

Após a eclosão ("nascimento") dos girinos, os machos transportam os filhos nas costas até alguma poça de água onde eles podem completar seu desenvolvimento. E os pais não medem esforços escolhendo uma poça ideal para garantir que os filhos fiquem seguros e se desenvolvam com sucesso! Para isso eles podem carregar até 40 girinos de uma única vez e percorrer até 800 metros de distância para encontrar uma poça adequada para os filhotes, o que é muita coisa, considerando que esses animais geralmente não ultrapassam quatro centímetros de comprimento!

Foto: Gabriel Masseli

Jaçanãs

As jaçanãs (espécie Jacana jacana) são aves bastantes comuns na nossa região e amplamente distribuídas na América do Sul. Na época reprodutiva, as fêmeas montam pequenos haréns de machos, que ficam responsáveis por montar e cuidar do ninho e também dos filhotes após a eclosão dos ovos. Os machos de jaçanã fazem a maior parte da construção do ninho, usando plantas flutuantes.

A fêmea coloca uma ninhada de quatro ovos, em média, e após isso, o macho assume toda a responsabilidade. Ele mantém os ovos protegidos da umidade e aquecidos, colocando os ovos embaixo de cada asa. Se o ninho começar a afundar ou os ovos estiverem em perigo, o macho pega os ovos e os carrega embaixo das asas para um local seguro.

Após a eclosão, os filhotes de jaçanãs já andam sozinhos, porém como são muito pequenos, eles podem ser predados por peixes, serpentes, sapos e jacarés. Por isso, o pai fica sempre alerta e ao menor sinal de perigo, coloca os filhotes debaixo das asas e corre com eles para longe perigo.

Foto: Jéssica dos Anjos

Zogues-zogues

Os zogues-zogues, como da espécie Plecturocebus grovesi, são macacos do Novo Mundo pertencente a uma subfamília de macacos chamada Callicebinae e que apresentam um complexo cuidado parental. O macho começa assumindo suas responsabilidades no momento do parto, atuando como um parteiro e ajudando a fêmea a partir do momento em que ela começa ter as contrações.

Quando o filhote nasce, é o pai que fica responsável por carregar e transportar o filhote a maior parte do tempo, sendo que o filhote só vai até a mãe para ser amamentado. Além disso, o macho é também o responsável por limpar, brincar e proteger o filhote, ficando com ele o tempo inteiro, mesmo durante a noite, quando esses macacos costumam dormir.

Nesses animais, o cuidado constante do pai com o filhote vai até que ele se torne um pouco mais independente e comece a se alimentar e andar sozinho, o que costuma levar cerca de cinco meses.

Foto: Jessica dos Anjos

Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre os incríveis papais da nossa região. Abraços de sucuri pra vocês e até ao próximo animal da nossa exuberante Amazônia!


O conteúdo do texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete, necessariamente, a posição do Portal Amazônia.

Veja mais notícias sobre Amazônia Animal.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 29 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/