Acre 59 anos: confira a programação para celebrar ao aniversário do estado

As festividades serão restritas a um número reduzido de pessoas, e a programação começa no dia 15 de junho e só se encerra no dia 27

O aniversário de 59 anos da elevação do Acre à categoria de estado terá uma programação especial, elaborada pelo governo do Estado. Por causa da pandemia da Covid-19, as festividades serão restritas a um número reduzido de pessoas, e a programação começa no dia 15 de junho e só se encerra no dia 27.
Foto: Divulgação

A primeira solenidade está marcada para terça-feira, 15, às 9h, no Mastro da Bandeira, na Gameleira, em Rio Branco. O governador Gladson Cameli irá acompanhar a substituição da bandeira do estado ao lado das tropas militares. No mesmo dia, às 16h, será realizada a abertura da exposição “1936: A trajetória – Um voo pela história da aviação no Acre”, no Memorial dos Autonomistas.

No mesmo período, serão exibidos, a partir das 17h, no Teatro Hélio Melo, compondo as comemorações, um documentário sobre a história da aviação no Acre e curtas sobre a história do cinema acreano. Por conta do aniversário do estado, segunda-feira, dia 14, será ponto facultativo para o funcionalismo estadual, e feriado no dia seguinte.

Veja os horários dos eventos culturais do aniversário do Acre

Dia 15.06 (terça-feira)

9h – Solenidade alusiva aos 59 anos do estado e substituição da bandeira acreana na Gameleira

16h – Cerimônia de abertura da exposição “Um voo pela história da Aviação do Acre”, no Memorial dos Autonomistas

A exposição permanecerá de 15 a 27, no Memorial dos Autonomistas, de segunda a sexta-feira, das 9 às 12h e das 15 às 18h. Aos finais de semana estará disponível das 15h às 20 horas.

De 15 a 27 serão exibidos, a partir 17h, no Teatro Hélio Melo, compondo as comemorações:

– Documentário sobre a história da aviação no Acre

– Curtas sobre a história do cinema acreano 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Você sabia que o Acre teve governador deposto durante o período do Golpe Militar?

José Augusto de Araújo, primeiro governador do Acre eleito democraticamente, teve de renunciar para evitar conflitos. Seringueiros foram oprimidos pelas políticas de ocupação da Amazônia.

Leia também

Publicidade